segunda-feira, 1 de setembro de 2014.
           

Arquivo Mensal

Cooperviva sedia primeiro Fórum de políticas para resíduos sólidos

A Cooperviva foi a sede escolhida para a primeira reunião do Fórum Regional de Cooperativas de Resíduos Sólidos no último sábado, dia 14 de janeiro. A idéia surgiu da possibilidade de articulação entre as cooperativas de catadores e catadoras de resíduos sólidos da região central do Estado de São Paulo que estiveram presentes no V ENFAC – Encontro Nacional de Formadores e Apoiadores de Catadores e Catadoras, que ocorreu no município de Assis entre os dias 03 e 05 de novembro de 2011.

Matéria divulgada na última quinta-feira, 19, no site da prefeitura de Rio Claro e enviada à mídia local e regional registrava entrevista com o Professor Dr. Auro Mendes, da Unesp-Rio Claro, captando sua observação do evento e análises sobre o assunto tema do fórum.
Participaram da reunião as cooperativas Acácia (Araraquara), Coopervida (São Carlos), Coopereli (Limeira), Cooperviva (Rio Claro) e Reciclamp (Campinas). O principal eixo das discussões foi a formação de uma rede de comercialização de resíduos sólidos entre essas cooperativas. “É muito importante termos conquistado nosso primeiro Fórum, para possibilitar a troca de experiências” disse Inair Francisca da Rocha Marcelino (45), presidente da Cooperviva.

O evento contou com o apoio da Secretaria Municipal de Ação Social, SEPLADEMA, Centro Público de Economia Solidária de Rio Claro, Centro Público de Economia Solidária de São Carlos, INCOOP – Incubadora de Cooperativas da UFSCAR e Fundação Banco do Brasil.

O Prefeito de Rio Claro, Du Altimari, que esteve presente, salientou a importância do desenvolvimento das políticas públicas em resíduos sólidos como componentes de um programa de saneamento básico. A importância do debate foi destacada, igualmente, pela vice-prefeita Olga Salomão. A Câmara Municipal de Rio Claro foi representada pela vereadora Raquel Picelli. Os vereadores Sérgio Desiderá e Julinho Lopes também estiveram no local.

A Secretária Municipal de Ação Social, Luci Helena Wendel Ferreira, lembrou o início da formação da Cooperviva, traçando um histórico desde a retirada das famílias que atuavam no aterro sanitário até a situação atual, onde as instalações da Cooperviva foram ampliadas com a inauguração do novo barracão, em novembro de 2011. “A organização e atuação das cooperativas de resíduos sólidos é fundamental para a superação da situação de pobreza e extrema pobreza nas quais se encontram diversas pessoas que vivem da coleta de materiais recicláveis”, segundo Luci. Salienta também a importância da organização dos catadores e catadoras como eixo estratégico do Plano Brasil Sem Miséria.

Nessa primeira reunião os representantes das cooperativas compartilharam informações sobre suas realidades, iniciando um diagnóstico preliminar da rede. A partir dessas informações, reconheceram que cada lugar adota uma nomenclatura para a classificação dos materiais separados e comercializados. Assim, o próximo encontro acontecerá dia 14 de fevereiro, no barracão da Cooperviva, tendo como foco a unificação da nomenclatura dos materiais comercializados pelas cooperativas da rede.