Moradores em situação de rua terão refeições gratuitas em Rio Claro

Cartão dá direito a moradores em situação de rua retirarem café da manhã e almoço no Bom Prato.

Setenta e cinco pessoas em situação de rua podem se alimentar gratuitamente retirando café da manhã e almoço na unidade do restaurante Bom Prato de Rio Claro. Na sexta-feira (26) o prefeito João Teixeira Junior esteve no restaurante, localizado na Rua 1 entre as avenidas 8 e 10, na entrega dos cartões de gratuidade, a partir de cadastro providenciado pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social.

“Firmamos convênio com o governo estadual para viabilizar esse benefício porque é uma iniciativa sintonizada com nosso empenho em cuidar daqueles que mais precisam”, comenta Juninho. “Esse momento de dificuldades devido à pandemia é especialmente penoso para pessoas em vulnerabilidade social, e a garantia de refeições diárias é uma alento a muitos que não dispõem do mínimo necessário para se alimentarem corretamente”, acrescenta Juninho, lembrando que um dos atributos do Bom Prato, além dos preços baixos, é a alta qualidade das refeições oferecidas.

De acordo com a secretária municipal do Desenvolvimento Social, Érica Belomi, que acompanhou o prefeito na visita ao Bom Prato nessa sexta-feira, a concessão do benefício atende critérios técnicos estabelecidos pelo governo estadual. “As pessoas em situação de rua foram identificadas pelas nossas equipes e terão que levar o cartão para ser validado pelo restaurante Bom Prato a cada refeição”, explica. A identificação dessas pessoas foi feita pelo Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas) que, entre outros serviços, realiza busca ativa da população de rua oferecendo atendimento especializado e fazendo encaminhamentos aos serviços públicos quando necessário. O prefeito e a secretária municipal do Desenvolvimento Social foram recebidos pelo gerente da unidade do Bom Prato de Rio Claro, Samuel Ribeiro.

A alimentação gratuita a pessoas em situação de rua está sendo oferecida com parceria do governo estadual com as prefeituras paulistas. A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social, que mantém 58 unidades do Bom Prato em todo o estado, adotou a medida com prazo até 30 de julho, ou enquanto durarem as medidas relativas à pandemia do coronavírus. Pelo programa, cabe às prefeituras conveniadas quantificarem, identificarem e localizarem os beneficiários, além de fazer a entrega dos cartões de gratuidade.

A adesão à medida é mais uma ação da prefeitura de Rio Claro em prol das pessoas em situação de rua após o início da crise do coronavírus. Em abril o município passou a acolher esse público nos prédios dos centros dia do idoso (CDI) localizados na Vila Operária e no Jardim Esmeralda, como medida para reduzir os riscos da Covid-19. Desde março as unidades mantêm suspensas as atividades com idosos.

Famílias em outras categorias de vulnerabilidade social também estão recebendo atenção na área da alimentação. A prefeitura ampliou a entrega de cestas verdes e pães caseiros aos cadastrados nos centros de referência de assistência social (Cras). Mais de 1800 famílias estão sendo atendidas. Além disso, desde o início da pandemia a prefeitura já transferiu 13,5 toneladas de alimentos do setor da Educação, que está com aulas suspensas, para o atendimento social.

A prefeitura distribui ainda alimentos por meio das campanhas do Fundo Social de Solidariedade que têm amplo apoio da comunidade e empresas. Também implantou o programa Alimentação Escolar Direto em Casa, na qual distribuiu cartão magnético para estudantes de baixa renda receberem mensalmente R$ 60,00 de auxílio enquanto as aulas não são retomadas.

Prefeitura faz nova transferência de alimentos da Educação para área social

Devido à suspensão temporária das aulas, itens alimentares das escolas estão sendo encaminhados a famílias de baixa renda.

Uma tonelada e meia de alimentos foram transferidos na quarta-feira (17) do departamento de Alimentação Escolar da prefeitura de Rio Claro para o atendimento social a famílias de baixa renda. É a terceira ação do tipo realizada pelo governo municipal desde que o início da pandemia do coronavírus em março obrigou a interrupção temporária das aulas. Naquele mês foram repassadas cinco toneladas de frutas, legumes e verduras, além de 10 mil ovos, e em abril, sete toneladas de carnê bovina, suína, aves e peixes, totalizando até agora mais de 13,5 toneladas de alimentos transferidos àqueles que mais necessitam.

“É uma maneira de ajudar para que haja comida na mesa de uma faixa da população que ficou ainda mais vulnerável devido à crise causada pelo coronavírus”, comenta o prefeito João Teixeira Junior. “Mesmo com as dificuldades impostas pela pandemia, estamos nos adaptando e fazendo todo o possível para que itens essenciais, como alimentos, cheguem às camadas mais vulneráveis da comunidade”, acrescenta Juninho.

De acordo com o secretário municipal da Educação, Adriano Moreira, a pasta está entregando 435 quilos de farinha de trigo, 425 quilos de fubá e 621 quilos de bolacha. “É quase uma tonelada e meia de alimentos que não estamos deixando parados enquanto as aulas não são retomadas, e que farão diferença na mesa de quem mais precisa”, destaca.

A secretária municipal do Desenvolvimento Social, Érica Belomi, explica que os alimentos repassados serão entregues às famílias cadastradas nos centros de referência de assistência social (Cras) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) junto com as cestas verdes de verduras, frutas e legumes, e pães caseiros. “Trata-se de reforço importante em nosso atendimento social, que beneficia centenas de famílias”, frisa, informando que, semanalmente, a pasta atende mais de 1800 famílias com cestas verdes e pães caseiros.Outras ações importantes da prefeitura de Rio Claro na distribuição de alimentos durante a pandemia são as doações de itens alimentares feitos pelo Fundo Social de Solidariedade a partir de campanhas que têm amplo apoio da comunidade e empresas, e a implantação do programa Alimentação Escolar Direto em Casa, na qual a prefeitura distribuiu cartão magnético para estudantes de baixa renda receberem mensalmente R$ 60,00 de auxílio enquanto as aulas não retornam.

Rio Claro amplia entrega de alimentos devido à pandemia

Mais de mil famílias já receberam cestas básicas em distribuição emergencial. Entrega de cestas verdes cresceu 60%.

Garantir comida na mesa dos que mais precisam e amenizar os efeitos da crise gerada pelo novo coronavírus à parcela mais vulnerável da população. Com esses objetivos, a prefeitura de Rio Claro vem desenvolvendo diversas ações para entregar alimentos às famílias de baixo poder aquisitivo, muitas destas ações realizadas em parceria com empresas, entidades e população em geral, que têm respondido de maneira rápida e positiva fazendo expressivas doações. Desde que teve início a pandemia, o município ampliou em 60%, de 1150 para 1850, a quantidade de famílias atendidas com as cestas verdes, enquanto que a distribuição emergencial de cestas básicas já atendeu mais de mil famílias no mesmo período.

“Alimentação é a preocupação básica em qualquer cenário que envolva colapso na saúde e queda na atividade econômica, principalmente para aqueles que mais precisam e sofrem com maior intensidade os medos e incertezas de uma crise”, comenta o prefeito João Teixeira Junior. “Temos tomado várias medidas no combate à pandemia e vamos manter nossos esforços para que as famílias de baixa renda possam ter sua refeição, que é um direito básico de todos”, acrescenta Juninho.

De acordo com a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Paula Silveira Costa, a ampliação da entrega das cestas básicas está sendo possível muito pela colaboração de população. “A comunidade tem dado amplo apoio às nossas campanhas, mais uma vez se mostrando solidária e atenta às necessidades do próximo”, destaca. “Além da população em geral, temos recebido auxílio de empresas que, muitas vezes de maneira espontânea, entregam doações que estão fazendo a diferença na mesa de centenas de pessoas”, acrescenta.

Segundo a secretária municipal do Desenvolvimento Social, Érica Belomi, tanto a distribuição de cestas básicas quanto a das cestas verdes são feitas por intermédio dos centros de referência da assistência social (Cras), unidades da prefeitura que prestam atendimento social de maneira descentralizada. “Nossas equipes trabalham com muito empenho para atender da melhor maneira possível todos aqueles que estão mais expostos à crise resultante da pandemia”, comenta, informando que as cestas verdes, entregues por meio do Banco de Alimentos Nutricional e Sustentável e do Programa de Aquisição de Alimentos, estão sendo reforçadas com pão caseiro, além das frutas, legumes e verduras, para ampliar o reforço à alimentação das famílias atendidas.

No mês de abril o Fundo Social de Solidariedade realizou campanha de arrecadação de alimentos em sistema de drive-thru, sem que as pessoas precisassem sair do carro para fazer sua doação, como cuidado extra contra o coronavírus. Ação similar aconteceu sábado, organizado pela academia Espaço de Dança em frente ao Núcleo Administrativo Municipal (NAM).

Outra ação importante realizada pelo município no sentido de garantir comida à mesa das famílias mais vulneráveis foi o remanejamento de alimentos da área da educação, que está com aulas suspensas, para o atendimento social. Em março foram transferidas cinco toneladas de alimentos entre legumes, frutas, hortaliças e ovos. Em abril, o setor social recebeu da área da educação sete toneladas de carne bovina, suína, aves e peixes.

Mais uma importante ajuda para as famílias de baixa renda foi a implantação do programa Alimentação Escolar Direto em Casa, na qual a prefeitura distribuiu cartão magnético para estudantes de baixa renda que recebem mensalmente R$ 60,00 de auxílio durante a pandemia. É uma maneira das famílias terem acesso a alimentos uma vez que seus filhos estão temporariamente sem ter acesso à alimentação escolar nas unidades de ensino.

Com pandemia, atendimentos do Conselho Tutelar estão sendo agendados por telefone

Integrantes da entidade foram recebidos na terça-feira pelo prefeito Juninho no paço municipal.

As atividades do Conselho Tutelar de Rio Claro seguem em andamento mesmo com as restrições impostas pela pandemia do coronavírus. Com agendamentos por telefone, para evitar filas e aglomerações, a entidade que protege a criança e o adolescente garantindo a aplicação de seus direitos atende de segunda a sexta-feira das 8 às 17 horas e mantém nos demais dias e horários plantões acionados pelo setor de saúde e de segurança quando necessário. “O trabalho do Conselho Tutelar é de extrema importância e a manutenção de seus trabalhos mesmo neste cenário da Covid-19 é um fator a mais de tranquilidade para a nossa população em uma área tão sensível como o cuidado com as nossas crianças”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, que recebeu representantes do Conselho Tutelar terça-feira (9) no paço municipal.

O prefeito Juninho deu posse à atual formação do Conselho Tutelar em janeiro. “Nesses cinco meses de atuação os atuais conselheiros tutelares vêm desenvolvendo um trabalho de excelente qualidade, mostrando todo o comprometimento e seriedade que exige essa atividade essencial em nossa sociedade”, destaca.

“Fizemos algumas adaptações para manter o atendimento do Conselho Tutelar acessível para população mesmo com pandemia e com atenção especial nesse período de isolamento social”, esclarece a coordenadora Isabel Gomes de Souza. “A maior mudança foi no sentido de reduzir o fluxo de pessoas dentro da nossa sede, organizando o atendimento via telefone, mas todas as nossas atividades continuam sendo desenvolvidas, inclusive as visitas às famílias acompanhadas regularmente pelo Conselho Tutelar”, informa.

Para contatar a entidade, basta ligar para 3532-5221 ou para o Disque 100, linha disponibilizada pelo governo federal. Casos de maus-tratos, negligência e abuso podem ser reportados. “Quando a violência está em andamento, acontecendo na hora, a orientação é para que as denúncias sejam feitas diretamente à polícia ou à Guarda Civil que, se for o caso, acionarão o Conselho Tutelar”, explica a coordenadora Isabel de Souza. “Já os contatos diretos com o conselho devem ser feitos naquelas situações em que há conhecimento por parte do denunciante de agressões constantes, pais ou responsáveis que não cuidam direito das crianças e casos similares”, acrescenta.

O Conselho Tutelar de Rio Claro fica na Rua 12, 1462, entre avenidas 6 e 8, bairro Santa Cruz.

Rio Claro confirma um caso positivo de covid-19 entre pessoas em situação de rua

Ao todo 60 pessoas em situação de rua realizaram o exame.

Como estratégia para conter os casos de coronavírus no município, a prefeitura de Rio Claro realiza testes rápidos em pessoas em situação de rua. Na semana passada, 60 pessoas desta população realizaram os testes e houve um caso positivo.

“Com o resultado, a pessoa foi imediatamente colocada em isolamento, o que impede a transmissão do coronavírus para outras pessoas”, observa o prefeito João Teixeira Junior. “Infelizmente há pessoas em nosso município que estão em situação de rua e que merecem o nosso respeito e nosso cuidado”, acrescenta o prefeito Juninho.

O caso positivo foi registrado entre as pessoas em situação de rua que estão em abrigos oferecidos no município para esta população. Os testes foram feitos em 30 pessoas acolhidas no Centro Dia do Idoso na Vila Operária e na Casa de Passagem. Outras 30 pessoas em situação de rua realizaram o teste rápido no Jardim Público.

“O objetivo da testagem é justamente esse: identificar casos positivos para que medidas sejam adotadas visando evitar novos casos, além de possibilitar o cuidado necessário a quem já está com a doença”, observa Maurício Monteiro, secretário de Saúde.

A pessoa que teve resultado positivo cumpre o isolamento abrigada no Centro Dia do Idoso do Jardim das Palmeiras, local que a prefeitura disponibilizou para isolar pessoas em situação de rua que tenham resultado positivo para Covid-19.

Desde março, quando as atividades para os idosos foram paralisadas, a prefeitura destinou os centros dias para o acolhimento desta população mais vulnerável, o que evita aglomerações, e também ajuda a proteger do frio as pessoas em situação de rua.

Mais de 1.100 alunos já receberam cartão de programa alimentar em Rio Claro

Prefeitura está concedendo R$ 60,00 a mais de 4.000 alunos da rede municipal de ensino.

Mais de 1.100 alunos da rede municipal de ensino já receberam os cartões do programa Alimentação Escolar Direto em Casa, criado pela prefeitura de Rio Claro para ajudar famílias carentes durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O programa destina crédito mensal de R$ 60,00 por criança que se enquadra nos critérios sociais. “Muitas crianças se alimentavam na escola e com a suspensão das aulas por conta da pandemia de coronavírus ficaram sem essa refeição. Esse auxílio financeiro é para ajudar a suprir essa carência”, explica o prefeito João Teixeira Junior.

A entrega dos cartões começou na sexta-feira (24) e está sendo feita na antiga estação ferroviária, região central da cidade. No primeiro dia foram entregues 576 cartões, sendo 376 na antiga estação e 200 na casa dos beneficiários. Nesta segunda-feira (27), até às 15h20, 436 cartões foram retirados na estação e 106 entregues nas residências dos favorecidos, totalizando 1.118 cartões entregues.

O programa da prefeitura vai atender 4.060 crianças com o benefício que será pago até o retorno das aulas  interrompidos por causa da pandemia do coronavírus. “Quem tem direito ao benefício está sendo avisado pelas escolas e somente deve comparecer à estação quem foi contatado pela unidade de ensino”, orienta o secretário municipal da Educação, Adriano Moreira.

Para retirar os cartões, os pais ou responsáveis devem apresentar documentos pessoais e também documentos das crianças. Para evitar aglomeração de pessoas, a entrega será feita até o dia 5 de maio por grupos de escolas. Nesta terça-feira (28) serão atendidos os alunos das escolas Ephraim Ribeiro dos Santos, José Martins da Silva, Marcelo Schmidt, Hélio Jorge dos Santos, Monsenhor Martins e Elpidio Mina. Dúvidas podem ser esclarecidas pelos telefones (19) 3522-1966 e (19) 3522-1967.

Prefeitura começa a entregar cartões do programa de alimentação escolar

Mais de 4.000 crianças serão contempladas com o benefício concedido pela prefeitura de Rio Claro.

A prefeitura de Rio Claro iniciou nesta sexta-feira (24) a entrega dos cartões do programa Alimentação Escolar Direto em Casa, criado pelo município para ajudar famílias carentes durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Mais de 4.000 alunos da rede pública municipal de ensino serão contemplados com o benefício que destina crédito mensal de R$ 60,00 por criança que se enquadra nos critérios do programa, sendo um deles ter renda per capta de até R$ 178,00 por membro da família. A entrega será feita até 5 de maio, exclusivamente para quem foi selecionado e informado sobre o direito ao benefício.

Mãe de uma criança e desempregada, Marina compareceu à antiga estação ferroviária nesta sexta-feira (24) para retirar o cartão. “Vai ajudar bastante em casa, veio em boa hora”, disse sobre o auxílio financeiro. Assim como ela, no primeiro dia de entrega dezenas de pais ou responsáveis retiraram os cartões que já estão carregados com o dinheiro e prontos para uso.

“É uma ajuda emergencial que estamos oferecendo às famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza”, informa o prefeito João Teixeira Junior, que acompanhou a entrega dos cartões na manhã desta sexta-feira (24). “O dinheiro é destinado exclusivamente para compra de alimentos”, frisa Juninho. O cartão pode ser utilizado nos estabelecimentos credenciados pela empresa BIQ Benefícios, a mesma que atende os servidores públicos municipais.

Para evitar aglomeração de pessoas foi feita uma escala de distribuição dividida pelas escolas. A entrega dos cartões será feita com atendimento de nove escolas por dia. Nesta sexta-feira (24) receberam os cartões alunos beneficiados das escolas municipais Samira Assêncio Savoldi, Darci Reginatto, Rutinéia P. S. Ferreira da Silva, Sueli Maria Proni Cerri, Dom Pedro I, João Rehder Netto, Paulo Koelle, Dante Egreggio, Dennizard França Machado e Lucídia T. C. Escrivão Soares. “Alunos das escolas dos distritos e zona rural vão receber o cartão em casa”, explica o secretário municipal da Educação, Adriano Moreira.

A orientação é que somente compareça a antiga estação ferroviária quem foi contatado pela unidade de ensino. “A escola avisa por telefone os pais das crianças contempladas com o benefício e a forma de recebimento do cartão”, esclarece Moreira. Quem tiver dúvidas pode ligar, a partir de segunda-feira (27), para os telefones (19) 3522-1966 ou (19) 3522-1967 para obter informações.

A entrega dos cartões continua na segunda-feira (27), das 8 às 17 horas. Nesse dia serão atendidos alunos das escolas Djiliah Camargo de Souza, Lygia do Carmo P. Vendramel, Jovelina Morateli, Sueli Aparecida Marin, Jardim Esmeraldo, Isolina Huppert Cassavia e Mitiko Matsushita Nevoeiro. “Para retirar o cartão, os pais ou responsáveis precisam apresentar documentos pessoais e também documentos das crianças contempladas com o benefício”, orienta Érica Belomi, secretária municipal do Desenvolvimento Social.

O benefício será pago enquanto perdurar a interrupção das aulas em decorrência da pandemia do novo coronavírus. Também acompanharam a entrega dos cartões no início da manhã desta sexta-feira (24), o presidente da Câmara Municipal, André Godoy, e o vereador Ruggero Seron.

Voluntárias confeccionam dez mil máscaras para doação aos profissionais de saúde

Projeto é realizado pela Udam e grupo Mais Vida em parceria com a prefeitura, e apoio da comunidade.

As ações solidárias têm proliferado em Rio Claro em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Um grupo de voluntárias uniu forças para produzir máscaras para ajudar na prevenção à doença. Com esse item em falta no mercado, a iniciativa tem auxiliado na proteção de profissionais de saúde e outros trabalhadores que atuam na linha de frente de enfrentamento ao vírus.

O projeto é uma iniciativa da União de Amigos (Udam) e do grupo Mais Vida em parceria com a prefeitura. “É um bonito gesto de solidariedade dessas mulheres que dedicam seu tempo e trabalho para ajudar o próximo”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, que nesta sexta-feira (16) conversou com Luciana Sartori Santos, do Grupo Mais Vida, e Selma Cristina da Silva, da Udam, que foram entregar máscaras para o setor de saúde do município.  “Esse trabalho só foi possível graças à parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Social, a Udam e o grupo Mais Vida e a adesão das voluntárias e demais parceiros do projeto”, destaca Selma.

Ao todo 82 voluntárias trabalham na confecção das máscaras, cada uma em sua casa, respeitando o isolamento social. Cada costureira recebe um kit com tecidos cortados em tamanho 20×20, fio de malha de 18 cm e linha para costura, e devolve com máscaras prontas.

Nesse primeiro lote foram produzidas dez mil máscaras com material doado pelo Conselho Maçônico e direção da Udam. Foram utilizados 720 metros de tecido TNT, 82 mil metros de linha e 3.200 metros de fio de malha que é usado em substituição ao elástico por ser mais confortável. “É uma oportunidade única participar dessa ação que é um gesto de amor, de generosidade e de solidariedade ao próximo”, comenta Luciana.

Das dez mil máscaras produzidas, sete mil foram doadas ao setor de saúde: duas mil para a Fundação de Saúde, três mil para a Santa Casa de Misericórdia e duas mil para a Casa de Saúde Bezerra de Menezes. Outros setores atendidos foram Defesa Civil, Guarda Municipal e Batalhão da Polícia Militar, Casa Escola, Secretaria do Desenvolvimento Social, Grupo Mais Vida e Estação do Bem. Todas as máscaras são esterilizadas em sistema de autoclave em trabalho feito pela Santa Casa, HM Clínica Odontológica e Schobell Indústria Ltda.

 “É um gesto singelo e humanitário das voluntárias e também de nossos parceiros que nos ajudam a realizar esse projeto em benefício das pessoas que se arriscam para salvar vidas”, observa a secretária municipal do Desenvolvimento Social, Érica Belomi.

Centro Dia do Idoso passa a ser local de apoio para pessoas em situação de rua

Iniciativa é mais uma medida da prefeitura para combater e diminuir os riscos de disseminação do coronavírus.

A prefeitura de Rio Claro está acolhendo pessoas em situação de rua como medida para reduzir os riscos de contaminação pelo novo coronavírus (Covid-19). Os prédios dos centros dia do idoso (CDI), localizados na Vila Operária e no Jardim Esmeralda, estão acolhendo esse público oferecendo higienização, alimentação e dormitório. As pessoas que vivem nas ruas são abordadas pelas equipes do Serviço Especializado de Abordagem Social (Seas) e, caso aceitem, são levadas para a Casa de Passagem e de lá para o CDI onde ficam em isolamento social conforme recomendação das autoridades de saúde.

O prefeito João Teixeira Junior visitou o CDI da Vila Operária nesta quarta-feira (1º). O prédio está abrigando dez pessoas em situação de rua. “Esses espaços que eram usados por nossos idosos, que estão protegidos em suas casas, agora oferecem abrigo temporário para as pessoas em situação de rua, em mais uma medida da prefeitura para combater a pandemia de coronavírus”, destaca Juninho.

A iniciativa foi aprovada por quem está recebendo o atendimento. “É uma boa medida que nos ajuda a enfrentar essa situação”, diz Dalmon Celso Sassi. Para Wagner Marcelo Sérgio esse acolhimento representa uma nova oportunidade de vida depois de dois meses morando na rua. “Fui muito bem acolhido e quero aproveitar essa chance para mudar de vida, quem sabe conseguir um emprego e um local para morar”, comenta. Já Cláudio Aparecido de Souza conta que não aceitou o acolhimento na primeira abordagem e mudou de opinião ao refletir sobre o assunto. “Estou sendo bem atendido por pessoas boas em local limpo e tranquilo”, avalia.

O serviço de acolhimento a pessoas em situação de rua está sendo realizado pela prefeitura em parceria com o Instituto Viver e Conviver (IVC). “Os espaços foram preparados para receber essas pessoas que são acolhidas nesse momento de pandemia do coronavírus e atendidas em suas necessidades”, explica a secretária municipal do Desenvolvimento Social, Érica Belomi, informando que cada CDI tem capacidade para atender 20 pessoas sem que ocorra aglomeração.

A assistente social do Seas, Maria Carolina Luna, reforça que as equipes do Seas continuam trabalhando nas ruas fazendo abordagens sociais e tentando convencer mais pessoas a aceitar o abrigo. Além disso, o trabalho na Casa de Passagem prossegue e o local é a porta de entrada para o atendimento social às pessoas em situação de rua durante a pandemia do novo coronavírus.


Prefeitura tem local para acolher pessoas em situação de rua durante pandemia

Com suspensão das atividades nos centros dia, prédios acolhem pessoas que vivem nas ruas do município.

As pessoas em situação de rua em Rio Claro já estão sendo acolhidas em novo espaço como medida para reduzir os riscos de contaminação pelo novo coronavírus. A prefeitura preparou os dois prédios onde estão suspensas as atividades dos centros dia do idoso para que, durante a pandemia, sejam recebidas as pessoas que vivem nas ruas. Além de comida e higienização, nos locais a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social também oferece atividades durante o dia e dormitório à noite.

“Neste momento é fundamental garantir que essas pessoas tenham um lugar seguro e acesso a produtos de higiene, que são essenciais para conter a propagação do coronavírus”, comenta o prefeito João Teixeira Junior.

De acordo com a secretária do Desenvolvimento Social, Érica Belomi, no total está sendo disponibilizado lugar para 40 pessoas, 20 em cada centro dia. “Hoje Rio Claro tem aproximadamente 30 pessoas em situação de rua, que eram acolhidas na casa transitória, porém, a situação de pandemia exige local com mais espaço para atender essa demanda, pois evitar aglomeração também é fundamental, por isso optamos pelos centros dia”, explica, informando que o trabalho na casa transitória continua e que o local é a porta de entrada para o atendimento social às pessoas em situação de rua durante a pandemia.

A secretária do Desenvolvimento Social também observa que serviços usuais no atendimento a esse público prossegue no município, com as abordagens sociais sendo realizadas por quatro equipes percorrendo as ruas da cidade.

Os centros dia do idoso de Rio Claro ficam na Vila Operária e no Jardim Esmeralda. Esse último foi entregue em 2018, na atual administração municipal.