Ainda é baixa a procura por vacina contra gripe

Até agora pouco mais de 50% das pessoas foram vacinadas.

A duas semanas do fim da campanha, ainda é baixo o número de pessoas pertencentes aos grupos prioritários que tomaram vacina contra a gripe em Rio Claro. Os números divulgados na quinta-feira (16) pela Vigilância Epidemiológica do município apontam que o município alcançou 53,40% de cobertura vacinal. A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é de vacinar 90% das pessoas pertencentes aos grupos prioritários.

“Muita gente que deve receber a dose da vacina ainda não procurou a unidade de saúde e a nossa orientação é para que essas pessoas façam isso o quanto antes para que sejam imunizadas contra a doença”, observa Maria Clélia Bauer, secretária de Saúde.

Ao todo foram vacinadas 32.471 pessoas. As doses foram aplicadas em 15.654 idosos com mais de 60 anos, o que representa cobertura vacinal de 61,85% neste grupo; 5.107 crianças até cinco anos (41,20%); 967 gestantes (52,90%); 238 puérperas (79,33%); 3.258 trabalhadores de saúde (54,83%); 842 professores (41,89%); 6.165 portadores de doenças crônicas (47,34%); 129 policiais, militares e bombeiros; 68 pessoas privadas de liberdade; e 43 funcionários do sistema prisional. Também devem ser imunizados contra a gripe adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estão sob medidas socioeducativas.  

A campanha vai até dia 31 de maio e a vacina é aplicada em todas as unidades de saúde da família e unidades básicas de saúde do município.

Quem estiver com alguma vacina em atraso poderá colocar a carteira de vacinação em dia.  Para isso basta apresentá-la na unidade de saúde. A lista com endereços e telefones das unidades de saúde de Rio Claro está no site http://www.saude-rioclaro.org.br/enderecos.htm.

Combate à dengue terá mutirão no Jardim Progresso neste sábado

Agentes irão percorrer o bairro das 8 às 13 horas.

Com mais de 19 toneladas de materiais recolhidos em 12 ações realizadas neste ano, os mutirões de combate à dengue, organizados pela Secretaria de Saúde, são parte importante do trabalho preventivo contínuo que vem sendo feito pela prefeitura de Rio Claro. Além da eliminação de possíveis criadouros do Aedes aegypti, os agentes orientam a comunidade sobre cuidados que todos devem adotar para evitar o mosquito. Neste sábado (18) os agentes estarão nos jardins Progresso 1 e 2, mais uma vez, com o apoio do caminhão cata bagulho.

“Muitos criadouros ainda tem sido encontrados nas residências e é importante que todas façam sua parte para evitarmos a proliferação do mosquito e consequentemente o avanço no número de casos de dengue”, observa Diego Reis, gerente do Centro de Controle de Zoonoses.

O mutirão será realizado das 8 às 13 horas e a orientação é para que a comunidade do Progresso coloque nas calçadas, logo pela manhã, os materiais a serem descartados para que os agentes façam o recolhimento, evitando que o material seja utilizado como criadouro pelo mosquito, que além de dengue, transmite zika vírus, chikungunya e febre amarela.

O trabalho realizado pela Secretaria Municipal de Saúde inclui ainda orientações à comunidade e visitas casa a casa durante a semana. A mais recente Análise de Densidade Larvária (ADL) registrada no município apontou índice de 1,7, situação de alerta segundo escala da Organização Mundial de Saúde. Para o levantamento foram visitadas 2.500 residências e em 441 delas foram encontradas larvas do mosquito. Neste trabalho também foram identificados 4.549 recipientes que poderiam acumular água e se tornarem criadouros do mosquito.

Boletim divulgado na quinta-feira (16) pela Vigilância Epidemiológica mostra que o número de casos de dengue confirmados em Rio Claro chegou a 272 neste ano.

Rio Claro chega a 272 casos de dengue neste ano

Trinta e oito casos foram confirmados na última semana.

O crescimento dos casos de dengue teve desaceleração nesta semana em Rio Claro. Trinta e oito novos casos da doença foram registrados e com isso, o município totaliza 272 casos da dengue em 2019. O boletim anterior apontou 96 novos casos em uma semana. As informações são da Vigilância Epidemiológica de Rio Claro.

“Não podemos descuidar e o trabalho preventivo continua sendo feito intensivamente, incluindo ações nos bairros e orientações à comunidade”, observa Maria Clélia Bauer, secretária de Saúde, reforçando a importância de a população trabalhar na eliminação dos criadouros. Dos 272 casos confirmados 259 foram contraídos no município e 13 são importados de outras cidades.

No caso de sintomas de dengue, a orientação é para que se busque atendimento nas unidades de saúde da família ou nas unidades básicas de saúde, que são porta de entrada para atendimento na rede pública municipal. No local o paciente encontrará equipe preparada para realizar os procedimentos necessários em cada caso, como coleta de exames e hidratação.

Evitar o acúmulo de água parada é a principal medida para evitar a proliferação do Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela. Na semana passada a prefeitura publicou decreto do prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, autorizando o ingresso forçado de agentes públicos de saúde em imóveis públicos e particulares, no caso de situação de abandono, ausência ou recusa de pessoa que possa permitir o acesso.

O trabalho de rotina inclui vistorias realizadas durante a semana pelos agentes do Centro de Controle de Zoonoses. Aos sábados são realizados mutirões nos bairros, que inclui o recolhimento de possíveis criadouros. Imóveis especiais, como escolas, e pontos estratégicos, como borracharias, também são vistoriados.

A Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento, Silvicultura e Manutenção realiza ininterruptamente ações de limpeza nos bairros. Também é fundamental que os proprietários mantenham os terrenos baldios em ordem.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente é outro setor que tem importante papel nos serviços que a prefeitura oferece para que a cidade fique limpa e haja menos chance do mosquito da dengue se reproduzir. A pasta gerencia seis ecopontos (que abrem todos os dias da semana), a coleta de lixo domiciliar em todos os bairros três vezes semana, o serviço de cata bagulho mensal nos bairros com recolhimento porta a porta de móveis velhos e materiais inservíveis, e a coleta seletiva de lixo. Informações e calendários desses serviços estão no site da prefeitura, www.rioclaro.sp.gov.br.

Dois mil animais já foram vacinados contra a raiva

Vacinadores estarão domingo em Ferraz, Batovi e Fazenda São José.

A Secretaria Municipal de Saúde continua fazendo a vacinação antirrábica na área rural de Rio Claro. Desde abril, quando foi iniciada a campanha, cerca de dois mil cães e gatos foram vacinados gratuitamente. Neste domingo (19) equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) irão percorrer propriedades nos distritos de Ferraz e Batovi e também na Fazenda São José.

O atendimento nesses locais terá início às 8 horas, será feito casa a casa e se estenderá até que todas as propriedades sejam atendidas.

“Se porventura algum proprietário de animal perdeu a visita dos vacinadores, pode procurar o CCZ de segunda a sexta-feira das 7 às 16 horas, onde a vacina é aplicada gratuitamente”, lembra Milene Weissmann, chefe de núcleo do CCZ. Cães e gatos com mais de três meses de idade também devem ser vacinados.

Já foram imunizados animais no bairro Mata Negra e das propriedades localizadas na estrada velha Ajapi-Leme, Itapé e Alan Grey. A abordagem nos sítios e fazendas é feita por funcionários devidamente identificados. A estimativa é de que neste ano cerca de 3.500 cães e gatos sejam vacinados na área rural. Já os animais de grande porte como equinos e bovinos devem ter a vacina providenciada pelos proprietários.

A vacinação dos animais na área urbana já está sendo organizada e deve acontecer em agosto. O cronograma está sendo elaborado e o município deve contar com vários pontos de vacinação.

Prefeitura inaugura sábado unidade de saúde do Brasília

Esta é a quarta unidade de saúde inaugurada de seis que estavam abandonadas em janeiro de 2017.

A prefeitura de Rio Claro inaugura no sábado (18) às 9 horas a Unidade de Saúde da Família do Jardim Brasília “Enfermeira Neusa Maria Mortari”. Esta é quarta unidade de saúde da família entregue pela atual administração. Outras duas serão inauguradas em breve.

“Quando assumimos encontramos seis prédios abandonados e firmamos o compromisso de concluí-los e colocá-los para atender a população, ampliando nossa rede de atenção básica e possibilitando aos moradores terem uma unidade de saúde mais próxima de sua casa”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, destacando que a saúde é uma das prioridades desta administração.  

A prefeitura concluiu a construção dos seis prédios e hoje os do Mãe Preta, Progresso e Santa Elisa estão atendendo as famílias. Em breve os do São Miguel e Bela Vista também estarão em funcionamento.

“As unidades de saúde da família e unidades básicas de saúde são porta de entrada para o atendimento na saúde pública e investindo na ampliação deste acolhimento possibilitamos redução de casos não urgentes nas unidades de pronto atendimento”, observa Maria Clélia Bauer, secretária de Saúde.

Além das novas unidades, os prédios que já abrigam USF e UBS também têm recebido atenção da administração municipal. Recentemente foi concluída reforma da unidade de saúde da família do Jardim das Palmeiras. Também recebem melhorias as unidades do Wenzel e do Cervezão. Em outras áreas da saúde, o pronto-socorro da Avenida 15 teve o telhado reformado e o Centro de Especialidades Odontológicas foi transferido para nova sede. Também foi providenciado novo prédio para o Núcleo de Combate à Dengue.

Larvas do Aedes estão em uma a cada seis casas em Rio Claro

Levantamento foi feito pela Secretaria Municipal de Saúde.

Situação preocupante para a dengue é apontada em levantamento realizado no mês de abril em Rio Claro. Agentes visitaram 2.500 residências e larvas do mosquito Aedes aegypti foram encontradas em 441 delas. Neste trabalho também foram identificados 4.549 recipientes que poderiam acumular água e se tornarem criadouros do mosquito. Os números chamam a atenção e reafirmam a importância da comunidade se atentar ao assunto e adotar medidas que evitem o acúmulo de água em recipientes onde o mosquito pode se reproduzir.

“Se esses criadouros não tivessem sido removidos eles possivelmente também apresentariam larvas”, destaca Paula Kannebley, diretora de Vigilância em Saúde.

O levantamento foi realizado para a Análise de Densidade Larvária (ADL) que apontou no município índice de 1,7, situação de alerta segundo escala da Organização Mundial de Saúde.

“Hoje cerca de 80% dos criadouros de dengue estão nas residências, o que mostra que apesar dos esforços da prefeitura, sem o envolvimento da comunidade, não é possível combater o mosquito”, observa Diego Reis, gerente do Centro de Controle de Zoonoses.

Ações preventivas vêm sendo adotadas em trabalho permanente realizado pela prefeitura, que na semana passada publicou decreto do prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, autorizando o ingresso forçado de agentes públicos de saúde em imóveis públicos e particulares, no caso de situação de abandono, ausência ou recusa de pessoa que possa permitir o acesso.

No trabalho do dia a dia, os agentes da Secretaria de Saúde percorrem a cidade vistoriando residências e orientando a população. Mutirões são realizados aos sábados. De janeiro a abril, cerca de  19 toneladas de criadouros foram recolhidas nos bairros durante os 12 mutirões de limpeza. Imóveis especiais, como escolas, e pontos estratégicos, como borracharias, também são vistoriados.

A Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento, Silvicultura e Manutenção realiza ininterruptamente ações de limpeza nos bairros. Também é fundamental que os proprietários mantenham os terrenos baldios em ordem. Caso contrário, a prefeitura limpa e manda a conta ao dono faltoso, mas essa não é a situação ideal. Ao fazerem sua parte, os proprietários economizam e a prefeitura concentra ações nas áreas públicas, dando maior rapidez à manutenção da cidade e reduzindo o risco de problemas com a dengue.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente é outro setor que tem importante papel nos serviços que a prefeitura oferece para que a cidade fique limpa e haja menos chance do mosquito da dengue se reproduzir. A pasta gerencia vários serviços, como os seis ecopontos (que abrem todos os dias da semana), a coleta de lixo domiciliar em todos os bairros três vezes semana, o serviço de cata bagulho mensal nos bairros, com recolhimento porta a porta de móveis velhos e materiais inservíveis, e a coleta seletiva de lixo. Informações e calendários desses serviços estão no site da prefeitura, www.rioclaro.sp.gov.br.

Serviço de combate à dengue já funciona em novo prédio

Inauguração do espaço foi realizada no sábado (11).

Ligado ao Centro de Controle de Zoonoses de Rio Claro, o Núcleo de Combate e Prevenção à dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela conta com nova sede, no Jardim Cervezão. A entrega oficial foi realizada no sábado (11).

“Estamos dando melhores condições de trabalho aos colaboradores para que eles também possam melhor acolher a comunidade”, destacou o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria. O novo espaço inaugurado no sábado é mais amplo e conta com melhor estrutura. “O trabalho realizado pelos agentes nos bairros é fundamental para combatermos as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes e é importante que a equipe tenha condições de discutir e planejar as ações que posteriormente são realizadas”, acrescentou o prefeito.

“A precaução e a prevenção são a essência do cuidado e o CCZ trabalha justamente isso, por meio de um espaço mais adequado, estamos dando condições para melhoria das ações de prevenção desenvolvidas”, frisou Maria Clélia Bauer, secretária de Saúde.

Paula Kannebley, diretora de Vigilância em Saúde, observou que o novo espaço fica em ponto estratégico da cidade. “Esta é uma das regiões mais populosas do município”, ressaltou Paula. O presidente do Conselho Municipal de Saúde, José Domingos de Almeida, falou sobre a importância do espaço para o trabalho preventivo.

O novo local funcionará como base para as cerca de 40 pessoas que atuam no setor. Salas de almoxarifado, sala de agentes e sala destinada ao trabalho da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen).

As boas condições de trabalho oferecidas no local foram lembradas pelos vereadores Júlio Lopes e Paulo Guedes. “Nosso principal objetivo é atuar em benefício da comunidade”, disse Lopes. Já Guedes informou que está trabalhando na elaboração de projeto de lei voltado ao combate à dengue. “É papel da Câmara legislar em favor da população”, afirmou Paulo Guedes.

Durante o evento 30 tablets foram entregues aos agentes. Os equipamentos eletrônicos irão auxiliar no trabalho de combate de busca e eliminação de possíveis criadouros do Aedes aegypti.

“A partir do momento em que os agentes coletarem as informações elas já serão lançadas no sistema, o que possibilitará dados mais precisos em menor tempo”, explica Diego Reis, gerente do CCZ. Sem o uso dos tablets, os agentes anotam as informações em papel e posteriormente elas precisam ser digitadas e contabilizadas.

Além do controle de arboviroses, que incluem dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela, o CCZ atua no controle populacional de cães e gatos, com serviço de castração gratuita, e vacinação antirrábica, que continuam sendo feitos no Distrito Industrial. A relação de serviços do setor inclui ainda orientações sobre animais peçonhentos, palestras sobre posse responsável de animais e buscas ativas de focos de leptospirose e leishmaniose.

Também participaram da inauguração de sábado o vice-prefeito e Secretário de Segurança Marco Antonio Bellagamba e Luciana Bellagamba; os vereadores Thiago Yamamoto e Irander Augusto; o subtenente Wagner Firmino da Silva, chefe de instrução do Tiro de Guerra; Silvio Martins, chefe de gabinete; Mônica Frandi Ferreira, superintendente do Arquivo Público; o secretário da Educação, Adriano Moreira; o ouvidor Ricardo Naitzke; os subprefeitos do Cervezão, Assistência e Ferraz, respectivamente Adenilson Feliciano da Silva, Paulo Henrique Maule e Valdirene Andrade; e a chefe de gabinete da Secretaria de Saúde, Amanda Servidoni da Silva.

Prefeitura inaugura novo prédio do Centro de Controle de Zoonoses

Setor cumpre papel importante para saúde pública.

Quando o assunto é prevenção a doenças que podem ser transmitidas por animais aos humanos, os serviços realizados em Rio Claro pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) são referência. Entre eles destaque para o combate à dengue. Para dar melhores condições de trabalho às equipes que atuam neste setor de saúde, a prefeitura inaugura neste sábado (11) às 9 horas nova sede do CCZ.

“Na semana passada entregamos à comunidade o prédio da Unidade da Saúde da Família do Jardim das Palmeiras reformado, em breve serão entregues três novas unidades de saúde e estão sendo feitas melhorias em outras duas unidades, além do PSMI que recebeu novo telhado e Centro de Especialidades Odontológicas que foi transferido para nova sede”, enumera o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, acrescentando que a saúde é uma das grandes prioridades de sua administração.

“Muitas vezes o setor de saúde é vinculado exclusivamente ao tratamento de doenças, mas o trabalho preventivo realizado é fundamental para evitar que elas apareçam”, observa Maria Clélia Bauer, secretária de Saúde.

O novo prédio será base para todas as equipes que atuam no combate a zoonoses no município, diferente do que acontece hoje. Haverá também uma sala destinada ao trabalho da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen).

Além do controle de arboviroses, que incluem dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela, o CCZ atua no controle populacional de cães e gatos, com serviço de castração gratuita, e vacinação antirrábica. Conforme informa Diego Reis, gerente do CCZ, esses dois serviços, de vacinação e castração, continuarão sendo feitos no Distrito Industrial.

Orientações sobre animais peçonhentos, palestras sobre posse responsável de animais e buscas ativas de focos de leptospirose e leishmaniose também estão na relação de serviços realizados pelo Centro de Controle de Zoonoses. Para fazer solicitações ou pedir orientações, a comunidade pode entrar em contato com a prefeitura pelo telefone  
Área de anexos

Professores e crianças são os que menos tomam vacina contra a gripe

Entre os profissionais de saúde, a vacinação até agora também é baixa.

Rio Claro chega a 46,57% de cobertura vacinal contra a gripe. Os grupos com menor procura pela imunização são os de professores e de crianças até 5 anos, com respectivamente 33,43% e 37,05% de cobertura vacinal. Desde o início da campanha 672 professores foram vacinados e 4.592 crianças.

Os números foram divulgados na quinta-feira (9) pela Vigilância Epidemiológica do município. Ao todo 28.318 pessoas foram vacinadas contra a gripe. A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é vacinar 42.113 pessoas em Rio Claro.

Até o momento a maior cobertura vacinal é das puérperas, com a vacinação de 194 mulheres (64,67%). Na sequência estão os idosos com mais de 60 anos, grupo em que a vacinação alcança 56,41% com a imunização de 14.277 pessoas. Também foram vacinadas 866 gestantes (47,37%); 2.284 trabalhadores de saúde (38,44%); e 5.304 portadores de doenças crônicas (40,73%). “A campanha vai até dia 31 de maio e a recomendação é para que as pessoas que pertencem aos grupos prioritários procurem uma unidade básica de saúde ou unidade de saúde da família para receber a dose da vacina”, reforça Maria Clélia Bauer, secretária de Saúde.

Também devem ser imunizados contra a gripe adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estão sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional; e policiais e bombeiros que estão na ativa.

Quem estiver com alguma vacina em atraso poderá colocar a carteira de vacinação em dia.  Para isso basta apresentá-la na unidade de saúde. A lista com endereços e telefones das unidades de saúde de Rio Claro está no site http://www.saude-rioclaro.org.br/enderecos.htm.

Boletim aponta 234 casos de dengue em Rio Claro

Apoio da comunidade é fundamental na eliminação de possíveis criadouros.

Com 234 casos confirmados de dengue, Rio Claro reforça alerta à população para a importância de se adotar medidas que visam combater o mosquito transmissor. “O poder público tem trabalhado permanentemente em ações para evitar a doença e pedimos o apoio da população para que as ações preventivas tenham o resultado esperado”, destaca Maria Clélia Bauer, secretária municipal de Saúde.

Boletim com número de casos da doença foi divulgado na quinta-feira (9) pela Vigilância Epidemiológica. Dos 234 casos, 221 foram contraídos no município. “Estamos em situação de alerta e é necessário o envolvimento de toda a comunidade para revertermos a situação”, acrescenta a secretária. Na última semana foram confirmados 96 novos casos da doença.

No caso de sintomas de dengue, a orientação é para que se busque atendimento nas unidades de saúde da família ou nas unidades básicas de saúde, que são porta de entrada para atendimento na rede pública municipal. No local o paciente encontrará equipe preparada para realizar os procedimentos necessários em cada caso, como coleta de exames e hidratação.

Evitar o acúmulo de água parada é a principal medida para evitar a proliferação do Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela. Durante a semana, agentes do Centro de Controle de Zoonoses realizam vistorias nas residências e orientam a comunidade. Aos sábados são realizados mutirões nos bairros, que inclui o recolhimento de possíveis criadouros. Imóveis especiais, como escolas, e pontos estratégicos, como borracharias, também são vistoriados.

A Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento, Silvicultura e Manutenção realiza ininterruptamente ações de limpeza nos bairros. Desde janeiro, cerca de 1.500 toneladas de materiais foram retiradas de terrenos, vias públicas e logradouros em várias regiões da cidade. Também é fundamental que os proprietários mantenham os terrenos baldios em ordem.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente é outro setor que tem importante papel nos serviços que a prefeitura oferece para que a cidade fique limpa e haja menos chance do mosquito da dengue se reproduzir. A pasta gerencia seis ecopontos (que abrem todos os dias da semana), a coleta de lixo domiciliar em todos os bairros três vezes semana, o serviço de cata bagulho mensal nos bairros com recolhimento porta a porta de móveis velhos e materiais inservíveis, e a coleta seletiva de lixo. Informações e calendários desses serviços estão no site da prefeitura,www.rioclaro.sp.gov.br.