Zoonoses faz socialização de cães para adoção

Socializar um animal que teve histórico de agressão é um trabalho longo, exige paciência, dedicação, avaliação de comportamento e acima de tudo, cuidado. No Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Rio Claro, cães que atacaram pessoas nas ruas ou muitas vezes os próprios donos precisam permanecer um tempo em observação para descartar a existência de doenças que possam comprometer a saúde humana, como a raiva por exemplo. Depois disso, o cão é castrado e começa um trabalho de interação entre o animal e o tratador que envolve horários de alimentação, limpeza das baias e passeios diários para acalmar, tranquilizar e desestressar o animal.

No CCZ não há recolha de animais abandonados e nem com suspeita de maus tratos já que o compromisso desse órgão público, ligado à Fundação Municipal de Saúde, é com a saúde pública. O gatil também foi desativado há mais de um ano, depois de todos os gatos terem sido adotados. Hoje estão sob a guarda do Centro de Zoonoses apenas cães agressores. São sete no total que ainda estão em processo de doação. Alguns deles, depois de um tempo, são doados. Algumas empresas já adotaram os animais do Centro de Zoonoses para reforçar a guarda do patrimônio. Os animais ganham espaço e passam a ser um importante componente de segurança dentro da empresa.

Um dos casos de maior sucesso em termos de adoção dentro do Centro de Controle de Zoonoses de Rio Claro foi da empresa Ancel, em 2014. A cadela Menina, uma vira-lata que há dois anos ocupava uma das baias do Centro de Zoonoses, passou a exercer uma função nobre. Ela ajuda na guarda do patrimônio. A decisão de adotar um cão recolhido das ruas partiu do dono da empresa. Ele queria dar mais segurança aos vigias que fazem a guarda noturna e achou que seria interessante buscar um animal no CCZ. Menina chegou no Centro de Zoonoses depois de ser recolhida no bairro Recanto Paraíso onde atacou uma pessoa. Tratada pelos agentes, ela ganhou peso e estava há anos à espera de um lar definitivo.

Uma semana depois da adoção da cadela Menina, a equipe do CCZ conferiu, em seu novo lar, a mudança pela qual o animal passou. Com um espaço maior para se movimentar, ela já mostrava um novo comportamento, de obediência e fidelidade. A cadela continua na Ancel até hoje e nunca atacou ninguém da empresa. Já de início interagiu com o funcionário que cuida dos animais. Existem outros cães no Centro de Zoonoses que podem exercer a mesma função de Menina. Dessa maneira ganham mais espaço para se movimentarem e retribuem com dedicação ao seu novo dono. Quando se trata de família querendo adotar um animal do Centro de Zoonoses, na casa não pode haver outros animais ou crianças e o espaço também tem que ser satisfatório. A adoção só é aprovada se forem obedecidas todas as normas adotadas pelo CCZ.

O trabalho do setor tem sido divulgado diariamente através do IEC, departamento de Informação, Educação e Comunicação, que alimenta o seu blog www.cczrioclaro.wordpress.com.br, uma página no facebook (Zoonoses Rio Claro) e ainda uma conta no twitter @cczrioclaro. Em todas essas mídias sociais informações sobre a Zoonoses podem ser acompanhadas.

Motociclistas aprovam a campanha “Fique Antenado”

A campanha “Fique Antenado” teve a aprovação dos motociclistas que passaram pelo cruzamento da Rua 4 com a Avenida 1, ponto de distribuição de antenas corta linha. Iniciativa da Associação dos Motofretes Profissional e Ciclistas de Rio Claro, em parceria com a prefeitura e Sport Motor, na primeira hora de atividades a campanha distribuiu mais de 100 antenas. A Secretaria de Segurança e Mobilidade, por intermédio da Guarda Municipal, também esteve presente fazendo orientação aos motociclistas. Sete motoclubes de Rio Claro apoiaram o evento.

“Rio Claro tem muita pipa e também muita motocicleta, então é importante uma campanha como esta”, comentou Silvio Henrique Ferreira de Brito quando instalava uma antena em sua CG, que ele utiliza para ir ao trabalho e no dia a dia. “Uma antena desta pode salvar nossa vida, pois muitas pipas caem e a linha pode nos cortar”, observou o motoboy Alexandre Braz, há 16 anos na profissão.

O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que quando vereador foi autor do projeto que instituiu a proibição do uso de linha com cerol, acompanhou parte das atividades de distribuição das antenas. “É bom ver que os motociclistas aceitam instalar as antenas”, afirmou. “É preciso também educar para que a brincadeira de pipa não se torne perigosa”, alertou em referência ao uso do cerol. O vereador Seron também esteve no posto de distribuição.

A ação deste sábado incluiu ajustes gratuitos nas correntes das motos e distribuição de material informativo sobre como evitar acidentes. Rogério Leite, presidente da Associação dos Motofretes, gostou do resultado da campanha. “A gente percebe que essas pessoas estão conscientes da importância dos itens de segurança no trânsito”, avaliou.

A venda e fabricação do produto conhecido popularmente como cerol – mistura de vidro moído e cola usada nas linhas das pipas e papagaios – são proibidas no Estado de São Paulo desde 1998, conforme lei de autoria do deputado Aldo Demarchi.

​Rio Claro sediará em setembro etapa do Município Verde Azul

O município de Rio Claro sediará em setembro a segunda etapa de certificação do Município Verde Azul, programa do governo estadual que premia os municípios pelos investimentos feitos no meio ambiente.

“Vamos nos preparar para bem receber os participantes e também nos organizar para melhorar a classificação de Rio Claro no ranking estadual”, afirma o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria.

Na terça-feira (25) representantes de secretarias municipais receberam a assessora do gabinete da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, Laura Crepaldi, em reunião que deu início aos preparativos para o evento de setembro.

“Na reunião foram discutidas questões de logística para sediar o evento, como localização, opções de gastronomia nas proximidades e capacidade de público, que deve ser para mais de 700 pessoas”, explica Antonio Penteado, secretário do Meio Ambiente, que participou da reunião.

Laura Crepaldi e sua equipe visitaram alguns lugares propostos e estão reunindo dados para uma nova análise que definirá a sede do evento.

“Selecionamos alguns lugares que podem sediar o evento e estamos dando todas as informações necessárias para que a Secretaria Estadual do Meio Ambiente estabeleça onde ​a atividade será realizad​a​”, comenta o vice-prefeito e secretário de Segurança, Defesa Civil e Mobilidade Urbana, Marco Antonio Bellagamba, também presente no encontro.

Participaram ainda da reunião o secretário de Educação, Adriano Moreira; o secretário de Esporte e Turismo, Ronald Penteado; a superintendente do Arquivo Municipal, Mônica Frandi Ferreira; o vereador Julio Lopes, presidente do Conselho Fiscal do Consórcio PCJ; e Edison Norberto de Andrade, interlocutor do Programa Município Verde Azul (PMVA) em Rio Claro.

O lançamento do Selo Município Verde Azul deste ano foi realizado em junho, em Mogi das Cruzes. A etapa de certificação das cidades participantes em Rio Claro, em setembro, dará continuidade à programação, que terá a terceira e última etapa em dezembro, na cidade de São Paulo.

O Programa

Lançado em 2007 pelo Governo do Estado de São Paulo, o PMVA tem o objetivo de auxiliar as prefeituras paulistas no desenvolvimento de ações pela sustentabilidade.

Ao final de cada ciclo anual é avaliada a eficácia dos municípios na condução das ações nas áreas propostas pelo programa. As 10 diretivas avaliadas são referentes à biodiversidade, resíduos sólidos, arborização urbana, educação ambiental, “cidade sustentável”, gestão das águas, tratamento de esgoto, qualidade do ar, uso do solo, estrutura ambiental e Conselho Ambiental.

As cidades que atingirem a pontuação necessária para obterem o certificado garantem prioridade na captação de recursos do Fundo Estadual de Prevenção e Controle da Poluição (Fecop).

Durante a solenidade de lançamento do programa, na cidade de Mogi das Cruzes, o secretário Estadual de Meio Ambiente, Ricardo Salles afirmou que neste ano são destinados R$ 15 milhões ao programa, dez vezes mais que o destinado em 2016.

Coletores de Rio Claro tem apoio da prefeitura para implantação de cooperativa de recicláveis na zona sul

A prefeitura de Rio Claro está apoiando a implantação de uma nova associação de catadores de materiais recicláveis na zona sul. A entidade será formada pelas pessoas que trabalhavam no aterro sanitário, cuja presença no local é proibida pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo). Além disso, a proibição está prevista na Lei de Resíduos Sólidos que estabeleceu prazo para eliminação dos lixões e implantação de aterros sanitários nos municípios brasileiros.

“Destinamos um terreno para a instalação da associação. A área já foi limpa pela prefeitura e pode ser ocupada de imediato pelos catadores”, informa o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria. A destinação da área, próxima ao ecoponto do Jardim Inocoop, foi formalizada por meio de decreto assinado em março pelo prefeito, que concedeu aos trabalhadores a cessão de uso do espaço por três anos, renováveis por mais dois.

A prefeitura vem tentando negociar com os catadores uma forma de cumprir a legislação sem prejudicar os catadores e a cidade. “O município está sendo cobrado pela Cetesb e pelo Ministério Público e pode ser penalizado caso libere a entrada de catadores no aterro”, explica o secretário de Meio Ambiente, Antonio Penteado. O secretário ressalta que a prefeitura não pode afrontar a legislação e, em benefício de alguns, prejudicar toda a cidade.

Nesta terça-feira (2) catadores e poder público se reuniram para discutir o assunto. O secretário ressaltou a importância da união dos catadores para implantar a associação. A diretora de Programas Complementares da Secretaria de Assistência Social, Fabiana Heguis, lembrou que quando a entidade for formalizada será possível a prefeitura entregar equipamentos (carrinhos, esteira, prensa, balança) adquiridos com recursos do programa de Economia Solidária.

A presidente da associação, Jozilma de Jesus Costa, comprometeu-se a reunir os catadores para fechar a participação de cada um na entidade. O catador Edmilson Pinto de Oliveira reforçou a necessidade de fortalecer a associação em processo de implantação para concentrar os esforços e apoio da prefeitura e agilizar o processo.

​​​Após 10 anos, moradores do Parque Flórida terão ligação de água

Os moradores do Parque Flórida esperaram por dez anos, mas finalmente as condições precárias de infraestrutura do bairro começarão a ser resolvidas pela administração municipal. O Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae) programou para a próxima segunda-feira (24) a interligação da rede de água do Daae com a rede do loteamento, o que vai regularizar a distribuição de água solucionando o principal problema dos moradores que, durante esses dez anos, vêm tendo que recorrer a caminhões-pipa.

“Há muitos anos a comunidade do Parque Flórida vem sofrendo com a falta de infraestrutura, e queremos reverter essa situação o quanto antes”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que reuniu-se com moradores do bairro na quarta-feira. “Também estamos nos mobilizando para resolver outros problemas no loteamento, como segurança e limpeza”, acrescenta.

De acordo com o superintendente do Daae, Francesco Rotolo, a interligação da rede é fruto de vários estudos para encontrar a solução técnica ideal. “O abastecimento será feito pelo Daae em todo o Parque Flórida com vazão e pressão suficientes para a demanda do local”, comenta.

O Parque Flórida fica na divisa com Santa Gertrudes. O prefeito da cidade vizinha, Rogério Pascon, também participou a reunião, além de representantes da construtora Caprem, que há cinco meses executa as obras gerenciadas pelo empreendedor do loteamento. O secretário de Meio Ambiente, Antonio Penteado, também esteve presente e lembrou que os serviços de limpeza e manutenção serão intensificados nos próximos dias.

Ao final da reunião foi montada uma comissão de moradores para facilitar sua comunicação com os responsáveis pelas obras e poder público. Participaram ainda da reunião o diretor da Defesa Civil de Rio Claro, Wagner Martins Araújo, os vereadores de Rio Claro Adriano La Torre, Irander Augusto, Julinho Lopes, Paulo Guedes, Rafael Andreeta e Val Demarchi e os vereadores de Santa Gertrudes, Alexandre Vieira, Reginaldo da Silva e Willian Bento.

Arrecadação bate recorde com 350 mil lacres de alumínio coletados

Cerca de 350 mil lacres de latinhas de alumínio serão entregues nessa quarta-feira (8) à escola municipal Nephtali Vieira Júnior, em Rio Claro. É a maior arrecadação desse material desde que a prefeitura iniciou o programa Lacre de Rodas, com o objetivo de receber cadeiras de rodas em troca dos lacres, além de ampliar as opções do descarte correto desses itens, que podem ser reciclados.

Serão entregues na quarta-feira 140 garrafas pet cheias de lacres em alumínio. São aproximadamente 2.500 lacres em cada garrafa. A nova arrecadação conseguiu 100 mil lacres a mais do que a concluída em janeiro, que foi de 100 garrafas pet e ajudou na troca por uma cadeira de rodas destinada à hospedaria Emaús.

O programa é uma parceria da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Secretaria Municipal de Educação e Comissão Ambiental da Administração Pública (Comissão 3AP), entidade da prefeitura voltada à gestão ambiental no serviço público e à conscientização ambiental dos servidores municipais. A iniciativa tem apoio da torcida Veloucura, do Velo Clube, e da Embaixada da República do Corinthians de Rio Claro e Espetinhos Tabajara.

Antes de ser enviada para a troca pelas cadeiras de rodas, toda doação é entregue à escola municipal Nephtali Vieira Júnior. “Os alunos gostam muito e incluem suas famílias na atividade”, explica Márcia Maria Stefan Clemente, professora responsável pelo projeto na escola. “Também utilizamos o programa para outras ações educativas, como o uso da matemática na contagem dos lacres, a separação por cores e outras”, acrescenta.

De acordos com Leonardo Andrade, do departamento de Resíduos Sólidos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente “a campanha busca incentivar a coleta seletiva mostrando que um simples gesto como separar o lacre de latinhas pode fazer a diferença na vida de muitas pessoas”.

A arrecadação continua. As doações, em qualquer quantidade, podem ser levadas aos pontos de coleta na Secretaria de Meio Ambiente e Secretaria da Educação, localizadas no Núcleo Administrativo Municipal (NAM) na Rua 6, 3265, no Alto do Santana.

Também há pontos de coleta no paço municipal, na Rua 3, entre as Avenidas 5 e 3, Centro; com a Torcida Veloucura, no estádio Benitão (Rua 3 entre avenidas 19 e 21, bairro Saúde), na Embaixada da República Popular do Corinthians (Avenida Visconde do Rio Claro, 205, perto do Lago Azul), ou no Espetinhos Tabajara, na Avenida 22, entre as Ruas 1 e 2, no Centro.

Interessados em implantar um novo ponto de coleta em estabelecimentos comerciais ou condomínios, devem encaminhar e-mail para a3p@sepladema.rc.sp.gov.br ou ligar para o departamento municipal de Resíduos Sólidos, 3522-1981.

Prefeitura realiza desocupação de área pública no Jardim Inocoop

Uma área pública ocupada irregularmente no canteiro central da Avenida Tancredo Neves no bairro Jardim Inocoop, foi desocupada na manhã de sexta-feira (03) pela Prefeitura de Rio Claro. O local vinha sendo utilizado para a criação de animais, como cavalos e galinhas. Durante a desocupação também foi encontrado larvas do mosquito transmissor da dengue. A ação desta sexta-feira foi realizada pelas secretarias municipais de Agricultura e de Meio Ambiente.

O secretário de Agricultura, Emílio Cerri, ressaltou que o local passará por uma revitalização. “Após o término da limpeza, vamos realizar o plantio de grama e de algumas mudas de coqueiro, da espécie Fênix, fazendo o espaço voltar a ser uma área verde que a população da região poderá usufruir”.

Alberto Merino, agente de fiscalização do Meio Ambiente, que acompanhou o trabalho de desocupação informou que o uso indevido da área foi identificado pelo município. “Logo que constatamos a irregularidade já fizemos todos os trâmites legais para que o local pudesse voltar a ser usado pelo município”.

A moradora Aparecida Conceição acompanhou o serviço da prefeitura e aprovou a iniciativa de revitalizar o espaço. “Antes este lugar servia como esconderijo para os bandidos praticarem delitos. Com a manutenção espero que as pessoas também não voltem a jogar mais lixo e entulho no local, pois nas proximidades existe um ecoponto para o descarte correto”.

Para a realização dos serviços de retirada dos entulhos foi necessária a utilização de um trator e dois caminhões. Todo o material foi descartado no aterro sanitário.

Prefeitura suspende fiscalização de bares por 30 dias

A prefeitura de Rio Claro está suspendendo temporariamente a fiscalização de bares na cidade. A interrupção será por 30 dias, prazo dado aos comerciantes para regularizar a documentação de seus estabelecimentos, como licenças e alvarás de funcionamento. Embora seja responsabilidade do empresário manter seus documentos em ordem, a administração municipal adotou a medida para ajudá-los nesse processo. Muitos comerciantes argumentam que há muito tempo a prefeitura não fazia mais fiscalização nos bares e, por isto, não estão com a documentação atualizada.

O prazo começou a valer em 1º de março. Vencidos os 30 dias, a fiscalização nos bares será retomada para garantir o cumprimento da Lei Municipal 3681/2006 que determina que os bares e estabelecimentos similares devem fechar às 22h30.

“Não queremos penalizar ninguém e sim fazer valer os critérios e regras da legislação em benefício da população”, explica o prefeito João Teixeira Júnior, o Juninho da Padaria. De acordo com ele, a fiscalização nos bares atende solicitação popular, visto que a prefeitura recebe muitas queixas, especialmente sobre perturbação de sossego em locais onde há funcionamento de bar. “A população não pode ser prejudicada. Os bares podem e devem funcionar desde que respeitem a lei”, afirma Juninho.

A fiscalização de bares foi retomada em janeiro deste ano com a participação do Ministério Público, da Polícia Militar, da Guarda Civil Municipal e da Ordem dos Advogados do Brasil através da Força Integrada Azul (FIA) devido ao aumento de denúncias sobre perturbação de sossego. O fiscal Alberto Merino informa que já foram fiscalizados 28 estabelecimentos, sendo que apenas três estavam regularizados. Desses, oito foram fechados e os demais tiveram as atividades restringidas até a plena regularização. Agora, a fiscalização será suspensa por 30 dias. “O prazo de suspensão será utilizado para reestruturar o modelo de fiscalização”, comenta Merino. Uma equipe de plantão será mantida aos finais de semana para acompanhar os locais já vistoriados.

O promotor de Justiça do Consumidor, Gilberto Porto Camargo, observa que a experiência anterior de fiscalização em bares foi muito proveitosa e foi uma pena que o trabalho não teve continuidade nos últimos anos. Segundo ele, a iniciativa da prefeitura de retomar a operação “é louvável” e o MP vai participar para reforçar a aplicação da lei.

“Os bares clandestinos são focos de problemas e a fiscalização fará com que o bom comerciante, que trabalha dentro da lei, seja beneficiado”, avalia Camargo. O promotor ressalta que a intenção não é penalizar, apenas exigir o cumprimento da lei. “Se o comerciante irregular não se adequar dentro do prazo estabelecido será, por justa causa, penalizado”, declara.

O comando da Polícia Militar também apoia a fiscalização nos bares e tem participado em auxílio aos fiscais. “Cada bar funcionando até altas horas representa um possível caso de perturbação do sossego”, observa o coronel Lideraldo da Silva, comandante do 37º Batalhão da Polícia Militar. Segundo ele, viaturas e policiais são destinados para atender essas ocorrências quando poderiam atuar em casos de maior gravidade e na segurança da população.

O Conselho Tutelar de Rio Claro também aprova a fiscalização. De acordo com o colegiado do órgão, formado por cinco conselheiros, esse tipo de operação é muito importante. Ressaltam que, se existe horário determinado para o fechamento de bar, tem que ser cumprido. O mesmo vale para a lei que proíbe a venda de bebidas alcoólicas para menores de idade. Para o colegiado, a operação garante o cumprimento dessas normas e isso contribui com o trabalho do conselho, já que os casos de violência envolvendo crianças e adolescentes geralmente estão relacionados ao uso de álcool e drogas.

Calendário do cata bagulho está disponível no site da prefeitura

Com aproximadamente 100 toneladas de materiais recolhidos mensalmente nos bairros de Rio Claro em serviços de cata bagulho, a Prefeitura divulgou o calendário anual do programa que está disponível em sua página da internet. Para o munícipe saber em que dia o caminhão de coleta de materiais vai passar em cada bairro, basta acessar o site www.rioclaro.sp.gov.br, no link ‘Serviços’, na parte superior da página.

“Os moradores devem colocar na frente da residência os materiais a serem recolhidos pelo caminhão até as 7 horas e o recolhimento será feito até as 17 horas. O cronograma é montado por região, abrangendo vários bairros vizinhos”, explica William de Oliveira, do Departamento de Resíduos Sólidos da Secretaria de Meio Ambiente.

Segundo ele, móveis, eletrodomésticos, eletroeletrônicos, madeiras MDF, colchões e outros objetos velhos podem ser deixados na calçada no dia da coleta. O caminhão não recolhe galhos, restos de podas de árvores e entulhos de materiais de construção, que devem ser descartados nos ecopontos. Também não recolhe lixo doméstico, para o qual existe a coleta domiciliar.

Oliveira ressalta que o serviço é uma alternativa para que a população não descarte esses materiais de maneira irregular em locais inapropriados. “O cata bagulho faz parte dos esforços da prefeitura para manter a cidade limpa”, destaca.

Com a colaboração da comunidade, o serviço ajuda a dar destinação correta a materiais que, se descartados incorretamente, causam danos ao meio ambiente, entopem galerias de águas da chuva, obstruem as vias públicas e pioram o aspecto dos bairros.

Nesta quinta-feira (9), o cata bagulho irá atender os bairros Jardim das Palmeiras, Jardim Esmeralda e Jardim Nova Rio Claro. Na sexta-feira (10), o atendimento será feito no Parque Palmeiras, Jardim Novo I e II, Residencial Vila Rosa, Terra Nova, Assistência e Recanto das Pedras.

Animais estão sendo transferidos para o novo canil

Assim que foi entregue na manhã dessa terça-feira (13), o novo canil de Rio Claro passou a receber os animais transferidos da área central (Avenida 8/Rua 1-B), que passam a ocupar um espaço muito melhor e em local adequado.

Com a transferência finalizada, a prefeitura terá atendido uma das mais importantes reivindicações da população e somado um novo recurso no trabalho de acolhimento de animais que precisam de ajuda e sofrem maus tratos.

O canil foi construído em regime de compensação pela Caprem – Capretz Empreendimentos Imobiliários, Rino Empreendimentos Imobiliários, Covabra Supermercados e Igreja Assembléia de Deus de Rio Claro.

Na inauguração, o prefeito Du Altimari destacou as parcerias que foram possíveis para a concretização da obra: “A lei de compensação no nosso governo garantiu a parceria para essa obra, que é uma estrutura como poucas vistas no Brasil”. O prefeito Altimari também agradeceu todas as equipes da administração e do setor privado que trabalharam para a conquista.

A vice-prefeita Olga Salomão lembrou os entendimentos com a Caprem Empreendimentos Imobiliários em 2014, quando respondia pela Sepladema, para que houvesse a compensação por grande investimento no município na construção do canil. “Encontramos investidores que reconheceram a necessidade da cidade e a responsabilidade de nosso projeto para proteção dos animais; e o resultado é esse que estamos vendo: Rio Claro passa a ter a estrutura adequada ao acolhimento dos animais em situação de risco e maus tratos”, comentou.

O empresário João Vítor Chinelatto, da Caprem, parabenizou a prefeitura pela iniciativa e disse que sua equipe “procurou fazer o melhor para que a obra atendesse à necessidade do município”. A empresa

​ainda ​fez a doação de 250 quilos de ração.

Também participaram da inauguração a secretária da Sepladema, Regina Ferreira da Silva; o secretário da Saúde, Geraldo Barbosa; o secretário de Cultura, Sérgio Desiderá; os vereadores Agnelo Matos e Julinho Lopes; o engenheiro da Rino Empreendimentos, Benedito Spadari Neto; diretores da prefeitura e integrantes de ONGs.