Fundação Ulysses Guimarães tem nova sede na Rua 6

A Fundação Municipal Ulysses Guimarães tem nova sede em Rio Claro. As novas instalações da autarquia foram inauguradas nesta sexta-feira (16). O novo endereço fica na Rua 6, 1.995, região central da cidade. A Fundação Nacional Ulysses Guimarães, com sede em Brasília (DF), será responsável pelas despesas geradas com a manutenção do prédio e com o funcionamento da autarquia municipal. Não haverá despesas para a prefeitura.

Na nova sede será guardado o acervo de 21 mil peças sobre o ex-deputado Ulysses Guimarães. A mudança de endereço foi necessária depois que a administração municipal extinguiu cargos e salários da Fundação Ulysses Guimarães (FUG) gerando economia de quase R$ 700 mil por ano aos cofres públicos. Convênio celebrado em julho garantiu o funcionamento da entidade local em outro modelo de gestão, permitindo à FUG municipal receber recursos da FUG nacional. 

Na cerimônia de inauguração, o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, reiterou que a decisão de extinguir a FUG foi tomada pensando na economia de recursos num momento em que a prefeitura enfrenta dificuldades financeiras. Juninho ressaltou o entendimento que permitiu o funcionamento da FUG com recursos da fundação nacional. “Essa inauguração só está acontecendo por causa da união de esforços em torno de um objetivo único de preservar a história e a memória de Ulysses Guimarães”, comentou o prefeito, salientando que o prédio onde funcionava a fundação, localizado no Núcleo Administrativo Municipal (NAM), irá abrigar uma creche que terá o nome do ex-deputado.

O presidente da Câmara Municipal, André Godoy, enalteceu a sensibilidade do prefeito em acatar o pedido de manter a FUG. Ele lembrou a participação da sociedade, que se mobilizou pela fundação como facilitadora de recursos e melhorias para a cidade. “Foi uma junção de esforços e entendimento político pelo bem comum de Rio Claro”, frisou. 

João Vieira Campos, presidente do PMDB e do conselho da FUG, comentou que a fundação é um “importante instrumento de apoio à cultura por meio de cursos, exposições e da biblioteca cujo acervo é disponibilizado para consultas”. A vereadora Maria do Carmo Guilherme afirmou que esse momento “é um marco político e histórico”.

O deputado estadual Aldo Demarchi destacou a importância do entendimento político que manteve a FUG. “A história tem que ser preservada e Ulysses Guimarães tem história e merece esse reconhecimento”, disse. Chico Donato, secretário de gestão da Fundação Nacional, falou de sua satisfação em ter contribuído para manter a FUG municipal, que irá preservar o patrimônio histórico de Ulysses Guimarães para as futuras gerações.

Também participaram da inauguração o vice-prefeito e secretário de Segurança, Marco Antonio Bellagamba; os secretários municipais Daniela Ferraz (Cultura), Emilio Cerri (Agricultura), Mônica Christofoletti (Educação – interina); a superintendente do Arquivo Público, Monica Frandi Ferreira; Maria Aparecida Moura, da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres; os deputados federais Nelson Marquezelli e Lobbe Neto; Evandro Mesquita, conselheiro da FUG Nacional; os vereadores Hernani Leonhardt, Anderson Christofoletti, Irander Augusto e Adriano La Torre; e outras autoridades.

Fundação Ulysses Guimarães inaugura nova sede nesta sexta-feira em Rio Claro

A Fundação Ulysses Guimarães de Rio Claro inaugura a nova sede da entidade nesta sexta-feira (15). O evento será realizado às 15 horas na Rua 6, 1.995, Centro. As novas instalações foram providenciadas pela Fundação Nacional Ulysses Guimarães, com sede em Brasília, sem ônus para a prefeitura. Os gastos com a manutenção da autarquia municipal serão custeados pela fundação nacional.

Em janeiro deste ano a prefeitura extinguiu cargos e salários da Fundação Ulysses Guimarães gerando economia anual de quase R$ 700 mil aos cofres públicos. Em julho foi celebrado convênio que permite à Fundação Ulysses Guimarães de Rio Claro receber recursos da Fundação Nacional Ulysses Guimarães de Brasília. O acordo garantiu o funcionamento da entidade local em outro modelo de gestão.

“Conseguimos encontrar uma forma de manter a fundação sem onerar os cofres públicos e sem comprometer a política de corte de gastos implementada pela prefeitura desde o início do ano”, explica o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, acrescentando que a parceria valoriza a história e a memória do ex-deputado Ulysses Guimarães.

Na nova sede será guardado o material sobre o ex-deputado Ulysses Guimarães. O acervo é constituído por mais de 21 mil peças entre documentos, artigos, certificados e livros doados pelo jornalista e escritor João de Scantimburgo, falecido em 2013. O presidente do diretório municipal do PMDB, João Vieira, destaca a importância da FUG ter local próprio para dar continuidade aos trabalhos iniciados em 1994, com os amigos de Ulysses, e a partir de 1998 com a criação da autarquia municipal.

“A fundação vem crescendo ao longo dos anos e oferecendo serviços à comunidade que terão continuidade na nova casa”, afirma Vieira. De acordo com ele, nesse período, a FUG conseguiu recursos a fundo perdido para a construção do antigo prédio da autarquia no Núcleo Administrativo Municipal (NAM). Também tem posse do último projeto criado pelo arquiteto Oscar Niemeyer para a construção do Museu Ulysses Guimarães em Rio Claro. “Vamos tentar obter recursos com o Ministério da Cultura para a construção do museu”, declara Vieira. A obra foi orçada em R$ 37 milhões.

Também no evento desta sexta-feira (15) serão entregues os prêmios dos vencedores do concurso “Ulysses Guimarães e a Nossa História”, realizado com professores da rede municipal de ensino. Os educadores deveriam apresentar planos de aula sobre a vida de Ulysses e os cinco melhores trabalhos serão premiados com notebooks, cursos, livros e vistas à FUG de Brasília.

Prefeitura celebra acordo para manter Fundação Ulysses sem custo para o município

O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, assinou nesta segunda-feira (10) o protocolo de intenções para viabilizar o convênio que permitirá à Fundação Ulysses Guimarães de Rio Claro receber recursos da Fundação Nacional Ulysses Guimarães, com sede em Brasília, para custeio da autarquia municipal sem ônus para o município.

“Encontramos um denominador comum que vai permitir manter a Fundação Ulysses com outro modelo, sem custos para a prefeitura”, disse Juninho que reiterou a intenção de instalar uma creche para 200 crianças no antigo prédio da fundação no Núcleo Administrativo Municipal (NAM). Nos moldes anteriores a fundação teria gastos de aproximadamente R$ 3 milhões em quatro anos.

Chico Donato, secretário de Gestão da Fundação Nacional Ulysses Guimarães, comentou que o ato realizado em Rio Claro é “uma atitude republicana”. “Essa etapa foi vencida, agora temos que empreender esforços para incluir Rio Claro no circuito turístico nacional com o nome de Ulysses Guimarães”, assinalou ao comparar Rio Claro com a cidade mineira de Tiradentes.

Evandro Mesquita representou o Conselho Nacional da Fundação Ulysses na solenidade e salientou o pioneirismo da parceria. “Esse convênio é diferente, é o primeiro assinado entre a fundação nacional e um município, o que mostra a importância e o diferencial da Fundação Ulysses de Rio Claro”, afirmou. Para ele, quando Rio Claro valoriza a fundação, valoriza a memória de Ulysses Guimarães e reverencia a história brasileira.

O presidente da Câmara Municipal, André Godoy, destacou a importância da união de partidos e pessoas para manter a Fundação Ulysses que, segundo ele, é um patrimônio da cidade. “Acredito que esse convênio irá contribuir para o desenvolvimento de projetos em benefício da cidade”, declarou. A vereadora Maria do Carmo Guilherme definiu como “histórico” o entendimento entre PMDB e Democratas para viabilização do convênio. “Isso nunca aconteceu em Rio Claro, por isso hoje estamos fazendo história”, destacou.

O vereador Val Demarchi comentou que a viabilização do convênio foi uma empreitada do DEM e do PMDB, mas nada teria sido possível sem o apoio do prefeito que se sensibilizou com a causa pensando no melhor para o município. “O intuito da fundação é trabalhar pelo desenvolvimento de Rio Claro. O Dr. Ulysses é um baluarte dessa cidade e quem não cuida de sua história dificilmente terá um futuro próspero”, pontuou.

O presidente do diretório municipal do PMDB, João Vieira, enalteceu a sensibilidade das pessoas que trabalharam pela manutenção da Fundação Ulysses que, de acordo com ele, tem a intenção de trabalhar para e por Rio Claro. “A fundação é importante para a captação de recursos”, disse. Uma das primeiras medidas de gestão da FUG é alugar um prédio para abrigar o acervo da Fundação Ulysses e isso está sendo providenciado. A fundação municipal terá diretoria e conselho cujos nomes estão sendo definidos.

Também participaram da cerimônia de assinatura de convênio os secretários Daniela Ferraz (Cultura) e Rodrigo Ragghiante (Procuradoria Jurídica); a superintendente do Arquivo Público e Histórico, Mônica Frandi Ferreira; os vereadores Seron do Proerd, Geraldo Voluntário, Hernani Leonhardt, Rogério Guedes, Yves Carbinatti e Irander Augusto Lopes; além do ex-vereador Sérgio Guilherme, do professor da Unesp Antonio Carlos Simões Pião, entre outras lideranças partidárias.

Convênio permitirá fim dos gastos municipais com Fundação Ulysses

O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, assina na segunda-feira (10) convênio que permite à Fundação Ulysses Guimarães de Rio Claro receber recursos da Fundação Nacional Ulysses Guimarães, com sede em Brasília, para custeio da autarquia municipal. A celebração do convênio foi autorizada pela Câmara de Vereadores a partir de projeto de lei encaminhado pelo Executivo. A assinatura será realizada às 14h30 no paço municipal.

A Câmara também aprovou o projeto de lei que extingue o pagamento de salários aos funcionários comissionados da Fundação Municipal Ulysses Guimarães. “Com essas medidas, teremos condições de manter a fundação em Rio Claro sem comprometer nossa política de contenção de gastos”, explica Juninho, informando que nos moldes anteriores a Fundação Ulysses Guimarães teria gastos de aproximadamente R$ 3 milhões em quatro anos.

Juninho propõe fim de salários na Fundação Ulysses Guimarães

O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, encaminhou à Câmara Municipal na segunda-feira (12) dois projetos de lei que dispõem sobre a Fundação Municipal Ulysses Guimarães. Um deles extingue o pagamento de salários aos funcionários comissionados da autarquia por meio da revogação do dispositivo legal que fixava a remuneração. A segunda proposta autoriza a Fundação Ulysses local a estabelecer convênio com a Fundação Nacional Ulysses Guimarães, com sede em Brasília, para que possa receber recursos que custeiem os gastos da autarquia.

Se os projetos forem aprovados pelos vereadores, a prestação de serviços dos conselheiros será feita de forma gratuita, voltando a prevalecer a intenção original da Fundação Ulysses no momento de sua criação. Com relação ao convênio, a medida é uma tentativa de manter a autarquia em funcionamento sem gerar despesas para o município. Se continuasse nos moldes anteriores, a fundação municipal teria gastos de quase R$ 3 milhões em quatro anos.

A fundação nacional manifestou interesse em assumir os custos e serviços necessários para exercer curadoria do acervo cultural mantido pela entidade local. “A permanência da Fundação Ulysses nos termos propostos é uma maneira de homenagear e reconhecer a importância do deputado Ulysses para a cidade, sem onerar os cofres públicos”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria.

A prefeitura mantém a proposta de utilizar o prédio que abrigava a Fundação Ulysses, localizado no Núcleo Administrativo Municipal (NAM), para a instalação de uma creche para atender 204 crianças. A medida irá contribuir para diminuir o déficit de vagas em creche no município, um problema que a administração municipal vem se esforçando para resolver com ampliação de escolas e instalação de novas unidades.

Os projetos de lei vão tramitar nas comissões da Câmara Municipal antes de serem levados ao plenário para votação dos vereadores.

Rio Claro comemora centenário de Ulysses Guimarães

O centenário de Ulysses Guimarães está sendo comemorado em Rio Claro, sua terra natal, que abriu na manhã desta quinta-feira (6) a Semana Ulysses Guimarães em solenidade na Praça de Liberdade. No monumento que homenageia o ex-deputado que assumiu por 19 vezes a Presidência da República, foi colocado um novo busto, agora em fibra de vidro, em substituição ao que foi furtado no início do ano. Também foi descerrada placa com célebres frases de Ulysses, uma delas atualíssima em sua mensagem, conforme lembrou o prefeito Du Atimari: “Política não se faz com ódio, pois não é função hepática. É filha da consciência, irmã do caráter, hóspede do coração”. Ulysses também dizia que “Quem não se interessa pela política, não se interessa pela vida”.

O prefeito ressaltou a luta de Ulysses para a instalação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, que foi o embrião da Unesp em Rio Claro, e observou que a cidade está ganhando uma faculdade de medicina. “Mais uma vez, a semente pela educação está sendo plantada”, afirmou.

Representante da Fundação Municipal Ulysses Guimarães, o jornalista Paulo Jodate David, que foi amigo de Ulysses, testemunhou a “facilidade de Ulysses em fazer política com “P” maiúsculo, foi um homem que vivia política 24 horas por dia”.

O ex-vereador Sérgio Guilherme, autor da lei que instituiu a Semana Municipal Ulysses Guimarães na década de 90, lembrou que o projeto foi aprovado por unanimidade pelos vereadores e permite a continuidade da vivência da cidade com seu filho ilustre. “Nós, do Legislativo, vamos dar sequência a este trabalho de preservar a história de Ulysses”, informou a vereadora Maria do Carmo Guilherme, que discursou como representante da Câmara Municipal.

A cerimônia também reuniu Gabriel Chamma, representando o governo Geraldo Alckmim, Reinaldo Timoni, representando a Fundação Nacional Ulysses Guimarães, Jairo Mascia, vice-prefeito de Analândia, secretários e diretores municipais, Tiro de Guerra, Polícia Militar e estudantes. O deputado Aldo Demarchi e o presidente Michel Temer encaminharam ofício justificando ausência.

O rio-clarense Ulysses, que foi chamado de Senhor Diretas e dedicou sua vida à defesa da democracia e do Estado de Direito, esteve em Rio Claro em 18 de janeiro de 1984, no primeiro comício da campanha pelas Diretas Já no interior do País.

Ulysses faleceu em 12 de outubro de 1992, num acidente de helicóptero no litoral de Angra dos Reis (RJ), em que perderam a vida também sua companheira Dona Mora, o então senador Severo Gomes, a esposa de Severo e o piloto da aeronave.

A Fundação Ulysses Guimarães, instalada em prédio no Núcleo Administrativo Municipal (NAM) e presidida por Ruy Pignataro Fina, promoverá uma Casa Aberta, já com visita agendada para o dia 7, pelos alunos de 5º ano da Escola Monsenhor Martins. As visitas, nos dias seguintes, podem ser agendadas diretamente com a Fundação, pelo telefone 3523-7226.

Novo busto de Ulysses Guimarães será feito em fibra de vidro

Rio Claro está se mobilizando para substituir o busto de Ulysses Guimarães, furtado da Praça da Liberdade no mês passado. Uma das possibilidades é usar como modelo perfil do ex-deputado existente na Fundação Ulysses Guimarães. A proposta também prevê a construção da peça em fibra de vidro, ao invés de bronze, para reduzir riscos de novos furtos. “A aparência será similar ao bronze, mas o material utilizado não terá apelo para ladrões”, explica o presidente da Fundação Ulysses Guimarães, Ruy Fina.

O objetivo é substituir o busto até o mês de outubro, em que serão comemorados os 100 anos de nascimento do rio-clarense Ulysses Guimarães, um dos políticos mais importantes do país e articulador da Constituição de 1988.

O busto de Ulysses Guimarães feito em bronze, que foi furtado em fevereiro, estava na Praça da Liberdade desde 1995. A ação criminosa está sendo investigada pela Polícia Civil. Outro ato contra o patrimônio municipal, que resultou em graves danos à estátua do índio no Jardim Público, também está mobilizando setores da prefeitura de Rio Claro. A Secretaria Municipal de Cultura está tomando as providências necessárias para a restauração da peça.

Ato em Rio Claro comemora Semana Ulysses Guimarães

Figura proeminente da política brasileira no século passado, Senhor Diretas, como foi chamado durante a campanha pela volta das eleições diretas para Presidente da República, em meados dos anos 1980, e presidente da Assembléia Nacional Constituinte que redigiu e promulgou a Constituição de 1988, Ulysses Guimarães é filho​o​ ilustre de Rio Claro e um dos nomes mais importantes no processo que restaurou a democracia no Brasil, após o longo período da ditadura militar iniciada com o golpe de 1964.

N​est​a sexta-feira, dia 9, às 19 horas, em solenidade marcada para a sede administrativa da Fundação Pública Municipal de Rio Claro Ulysses Guimarães, localizada no Núcleo Administrativo Municipal (NAM), a trajetória do cidadão e político Ulysses será novamente lembrada. ​”É uma homenagem mais do que justa a este grande rio-clarense”, ressalta Ruy Fina, presidente da Fundação.

A trajetória ​de Ulysses começou após formar-se em Direito pela USP, ter sido vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), e de se eleger deputado estadual pela primeira vez, em 1947, chegando à Câmara dos Deputados em​19​50, onde foi reeleito em 1954 e, depois, em 1958. Teve, enfim, papel destacado na vida política nacional, ocupando alguns dos principais cargos da República, inclusive candidatando-se à Presidência, em 1989, na primeira eleição presidencial direta pós-ditadura.

Vítima de um acidente em 12 de outubro de 1992, no litoral entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo, após a queda do helicóptero em que viajava com a esposa Mora e o casal Severo Gomes, Ulysses teve sua morte reconhecida, embora o corpo não tenha sido encontrado. Sua perda foi um dos momentos de grande comoção nacional.

O ato desta sexta-feira em Rio Claro​, alusivo às comemorações da Semana Ulysses Guimarães, será também um momento de reflexão sobre o estágio atual da democracia brasileira, que luta pela estabilidade política em meio a uma crise econômica de ​âmbito​ global.

A Fundação Ulysses Guimarães de Rio Claro mantém em atividade o projeto Livro Vivo, que funciona na antiga estação ferroviária da cidade, com atendimento também no Jardim Panorama, ​Ajapi​, Santa Elisa, Paço Municipal, Jardim Independência e Bonsucesso/Novo W​enzel. Para retirar livros nestes locais basta que o interessado compareça a um dos pontos citados e escolha o título que deseja por empréstimo.

Duas bibliotecas compõem o acervo atual da Fundação. Um​a​ delas, da própria entidade, reúne 3.000 livros, com farta literatura sobre o patrono famoso. A outra, com 16.000 livros, foi doada ao município pelo escritor João de Scantimburgo, falec​ido em março de 2013. Os livros dos dois acervos não podem ser retirados, mas ficam disponíveis para leitura nas salas da sede da Fundação Ulysses, no NAM, à Rua 06, nº 3265.

Fundação Ulysses forma 12º turma de informática no Cervezão

A Fundação Pública Municipal de Rio Claro Ulysses Silveira Guimarães realizou a formatura de mais duas turmas do curso de iniciação à informática do Posto Digital Municipal Beija-Flor, localizado no Cervezão.

A confraternização de entrega dos certificados de conclusão do curso aconteceu na manhã do último sábado (11) com a presença de familiares dos 33 formandos e também de representantes da comunidade local.

A outorga simbólica dos diplomas foi feita pelo diretor financeiro da Fundação Ulysses, Pablo Fonseca, que destacou a importância social da informática e suas perspectivas profissionais para o mercado de trabalho e para a cidadania. O evento contou também com a participação do vereador Agnelo Matos e da presidente da Associação de Moradores do bairro, Carmelita.

“Matriculei a minha filha Katiane, de 13 anos, para fazer o curso de informática básica e acabei me inscrevendo também”, conta Isis Borges da Silva ao receber o seu certificado. “Além de gratuito, o curso tem ótimas professoras”, completa.

As aulas foram ministradas pelas estagiárias Antonia Daniela Silva Cruz, no período da manhã, e Rosangela Pereira Brito do Nascimento, à tarde. O curso de inclusão digital teve a duração de 30 horas em períodos da manhã e da tarde.

Para os primos de 14 anos Fagner Nunes Pereira e Nicolas Pereira de Oliveira, do Jardim Progresso, o curso é um apoio aos estudos. “Aprendemos a utilizar muitas ferramentas no computador que nos ajudam nas pesquisas escolares”, comenta Fagner que pretende se inscrever em um módulo avançado.

O jovem Kauã de Oliveira dos Santos, de oito anos, foi o aluno mais novo da turma. Segundo a professora Daniela, no primeiro dia de aula Kauã mal conseguia manusear o mouse e o teclado. “Agora ele está bem mais hábil. Além de aprender noções de informática desenvolveu atividades motoras”, diz Daniela.   “Quando estou aprendendo, não sinto a minha idade”, conta Ivone Aparecida Barbosa, a aluna mais idosa do curso, com 72 anos de idade. “O computador não é mais um tabu para mim”, afirma.

Segundo Pablo Fonseca, a Fundação Ulysses Guimarães mantém cursos de inclusão nos dois postos digitais municipais do Cervezão. Em cinco anos de atividades os postos já formaram mais de 12 turmas, com aproximadamente 500 alunos beneficiados diretamente.

Atualmente estão abertas novas inscrições para os cursos gratuitos de informática que se iniciarão a partir do 2º semestre de 2015. Os locais são o Posto da Guarda Municipal, Rua M14, nº 379 e a Associação dos Moradores do Beija-flor, localizado a Rua M7, nº 490, no bairro Cervezão. O horário de atendimento é das 8 às 17 horas, de segunda a sexta-feira, com as professoras Daniela e Rosângela.

Livro Vivo completa quatro anos

O Programa de Incentivo à Leitura e a Cidadania Livro Vivo comemorou na terça-feira (28) quatro anos de atividades. Desde a inauguração do projeto, a Fundação Municipal Ulysses Guimarães trabalha permanentemente o acesso gratuito à leitura.  O projeto conta com sete postos distribuídos pela cidade, que emprestam à população rio-clarense livros sem custos e burocracia.

“Nestes quatro anos de funcionamento, os exemplos de participação cidadã voluntária são inúmeros e mostram a capacidade que a população local tem, em parceria com a Fundação Ulysses, de gerir políticas públicas no dia a dia do município”, observa Ruy Pignataro Fina, presidente da fundação. “O objetivo deste projeto é o lazer, a cultura e a cidadania de forma plena e organizada, com baixíssimo custo ao erário público, fomentando a participação das novas gerações com importantes valores democráticos de participação e inclusão social”, ressalta Pablo Fonseca, diretor da fundação.

Com um acervo circulante de 10.000 livros, disponibilizados em 40 estantes, o programa atende à comunidade em várias regiões, incentivando a leitura e alcançando milhares de pessoas.  A estimativa é de que diariamente cerca de 100 pessoas sejam beneficiadas, direta ou indiretamente pelo projeto e este número continua crescendo.

Só no posto da antiga estação ferroviária, na região central da cidade, são 300 novos leitores por mês, de um total de quase mil novos usuários mensais. A popularidade do Livro Vivo também alcança as redes sociais: 1.861 amigos utilizam o Facebook “Livro Vivo Rio Claro”.

Gerenciado pela Fundação Pública Municipal de Rio Claro Ulysses Silveira Guimarães, o Livro Vivo responde a uma demanda crescente de democratização do acesso à cultura, incentivando a doação de livros.  O posto da antiga estação ferroviária recebe doações diariamente, ação que alimenta o acervo do projeto. Os livros recebidos são pré selecionados, identificados e colocados em prateleiras para livre escolha da população, sem os trâmites burocráticos de uma biblioteca convencional.

No Livro Vivo qualquer cidadão pode escolher livremente o livro de sua preferência. Basta retirar o livro em um dos pólos e devolver quando terminar a leitura, sem prazo pré-estabelecido. A idéia é estimular a cidadania e a responsabilidade social pelo voluntariado e solidariedade, já que o programa recebe doações.

Os postos do projeto funcionam na antiga estação ferroviária; quadra poliesportiva do Jardim Panorama; Centro de Atividades “Ulysses Guimarães”, em Ajapi; Projeto Despertai, no bairro Santa Elisa; paço municipal; Centro Comunitário Beija-Flor, no Cervezão; e Associação de Moradores, no Bonsucesso.