Janeiro Branco destaca a importância de cuidar da saúde mental e emocional

A prefeitura de Rio Claro, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realiza neste mês a Campanha Janeiro Branco. Este é o segundo ano que o município participa da mobilização nacional que visa conscientizar a população sobre a importância de adotar hábitos saudáveis para manter a saúde do corpo e da mente. Quem passou pelo Jardim Público na manhã desta terça-feira (8) pôde obter mais informações sobre o assunto.

Atividade foi realizada na praça com distribuição de folders e participação de equipes dos três Centros de Atenção Psicossocial (Caps), do Centro de Referência da Infância e Adolescência de Rio Claro (Criari), de unidades de saúde, do grupo “Loucos por Pão” e das aulas de Lian Gong. “Esse evento tem como objetivo chamar atenção para o tema e divulgar os grupos comunitários de saúde que se reúnem semanalmente para discutir e refletir sobre o assunto”, explica o secretário interino de Saúde, Ricardo Naitzke.

O Grupo Comunitário de Saúde é uma modalidade de promoção e cuidado em saúde mental que vendo sendo realizada nos territórios de abrangência das unidades de saúde. O grupo é organizado pelo Programa Municipal de Saúde Mental com participação de profissionais da Atenção Básica do município. São nove locais de encontros com participação aberta a todas as pessoas interessadas e não somente àquelas que sofrem algum distúrbio mental ou emocional. “O grupo é aberto a toda pessoa interessada em cultivar experiências de vida e disponível ao encontro humano. Todos podem se tornar protagonistas do cuidado oferecendo a própria experiência de vida”, informa a psiquiatra Ana Carolina Oda Nevoeiro, gerente do programa de Saúde Mental.

As reuniões ocorrem semanalmente às quartas-feiras, das 9 horas às 10h30, na UBS Nosso Teto/Boa Vista; às segundas-feiras, das 13 horas às 14h30, na UBS 29; às quintas-feiras, das 9h30 às 11 horas, na USF Mãe Preta; às quartas-feiras, das 9 horas às 10h30, na USF Panorama; às terças-feiras, das 13h30 às 15 horas, na USF Jardim Progresso; às terças-feiras, das 13 horas às 14h30, na USF Jardim Santa Elisa; às quintas-feiras, das 8h15 às 9h45, no Centro Comunitário Beija Flor; às terças-feiras, das 8h30 às 10 horas, no Centro Comunitário São Miguel; e quinzenalmente às quintas-feiras, das 8h15 às 9h45, na USF Ajapi.

Livros são opção de lazer e cultura nas férias

Com acervo de 146 mil livros, as bibliotecas públicas de Rio Claro representam importante opção cultural para os leitores nas férias. Romance, aventura, suspense, poesia e outros gêneros literários estão disponíveis nas quatro bibliotecas que integram o Sistema Público de Bibliotecas do município.

“Os livros são fontes inesgotáveis de conhecimento, aliados imprescindíveis para o desenvolvimento da educação e da cultura”, observa Daniela Ferraz, secretária da Cultura. Dentre os títulos disponíveis há muitas opções para os públicos infantil e infanto-juvenil. “A leitura é importante em qualquer idade, especialmente na infância, já que o hábito e o prazer da leitura desenvolvidos na infância muito possivelmente seguirão com a pessoa durante a vida adulta”, acrescenta Daniela.

Na hora de decidir qual livro escolher o leitor pode solicitar ajuda da equipe de funcionários das bibliotecas, que orientam sobre os títulos à disposição e sobre a faixa etária para o qual o livro é destinado. Romance, suspense e autoajuda estão entre os gêneros mais solicitados. “Entre o público infantil, Diário de um Banana é um dos títulos mais procurados”, comenta Cristina Babone, responsável pelo Gabinete de Leitura.

Para ter acesso aos títulos disponíveis, o interessado deve comparecer a uma das bibliotecas e providenciar o cadastro a partir de apresentação de documento de identidade e comprovante de endereço e, no caso de menores de idade, autorização do responsável. No Gabinete de Leitura, que fica na Avenida 4, entre ruas 6 e 5, o atendimento é de segunda a sexta das 8 às 19 horas e aos sábados das 8 às 17 horas. O telefone é 3532-4077. No Centro Cultural a biblioteca funciona de segunda a sexta das 8 às 18 horas e aos sábados das 8 ao meio dia. A biblioteca fica na Rua 2, 2.880, Vila Operária. O telefone é o 3522-8002. Há ainda as bibliotecas que ficam no CEU Mãe Preta e no Cervezão. Ambas atendem de segunda a sexta das 8 às 17 horas. A biblioteca do Cervezão fica na Rua M-15, 411, telefone 3532-1947. O CEU fica na Avenida 1, sem número, telefone 3524-1380.

Prefeitura dá 20 dias para donos limparem terrenos baldios

Os donos de terrenos baldios de Rio Claro têm 20 dias corridos a partir desta terça-feira (8) para limparem e capinarem seus imóveis. A partir do próximo dia 28 a prefeitura começa a fazer o serviço e a mandar a conta aos proprietários faltosos. A limpeza de um terreno de 300m², por exemplo, custará R$ 613,11 se o trabalho for feito pelo município.

Isso porque quem não cuidar de seu imóvel pagará R$ 1,7031 por metro quadrado roçado ou capinado pela prefeitura, além de 20% sobre o valor total como taxa de administração dos serviços. Vencido o prazo, essa ação da prefeitura passa a ser feita ininterruptamente, ou seja, os donos devem manter os terrenos em ordem o ano todo para não receberem várias cobranças do município pelo trabalho.

O edital de limpeza de terrenos baldios foi publicado nesta semana no Diário Oficial de Rio Claro. “Quando todos fazem sua parte e mantêm seus imóveis limpos, todos ganham”, comenta o secretário municipal de Agricultura, Abastecimento, Silvicultura e Manutenção, Emílio Cerri. “A cidade fica mais limpa e bonita e a prefeitura pode concentrar as ações de manutenção nas áreas públicas”, acrescenta.

O diretor de Manutenção e Conservação, Tadeu Olivetti, observa que terrenos sujos e com mato também causam transtornos para os vizinhos. “Além disso, os donos que não limpam seus imóveis deixam de economizar quando o serviço é feito pela prefeitura”, acrescenta, lembrando que, com mais chuva e luz solar, o mato cresce mais rapidamente nos terrenos baldios da cidade nesta época do ano.

Manter as áreas particulares limpas também é especialmente importante para se evitar os riscos com animais peçonhentos e criadouros do Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus, febre amarela e chikungunya. Por isso, além dos proprietários limparem seus imóveis, é essencial que a comunidade também colabore e não faça descarte de lixo e materiais velhos em terrenos. Rio Claro possui seis ecopontos, coleta de lixo domiciliar em todos os bairros, coleta seletiva e serviço de cata bagulho.

Para realizar a limpeza de terrenos baldios particulares, a partir do dia 28, a prefeitura dividiu o município em 25 setores. Os serviços serão feitos priorizando os pontos mais críticos.