Juninho encaminha projeto de incentivo à doação de órgãos

Projeto que prevê funeral de graça aos doadores será analisado pela Câmara Municipal.

O município de Rio Claro pretende isentar do pagamento das despesas com serviços funerais as pessoas que fizerem doações de órgãos ou tecidos corporais para fins de transplante médico.

O projeto de autoria do prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, está sendo encaminhado para a Câmara Municipal e prevê isenção do pagamento de taxas com a realização de velório e sepultamento.

“Tenho um irmão transplantado que teve sua vida salva por um doador de rim e sei muito bem da importância de um gesto como este”, afirma Juninho. “Meu irmão está vivo por Deus, pelos profissionais médicos e pela generosidade da pessoa que lhe fez a doação do órgão”, destaca Juninho, acrescentando que “quanto mais doadores, maiores as chances de vida para quem está numa fila de espera”.

De acordo com o projeto do prefeito de Rio Claro, se os familiares ou responsáveis pelo finado optarem por uma funerária de padrão superior à oferecida pelo município, será cobrado o valor da diferença entre os preços dos serviços.

Proposta com teor similar está em tramitação na Câmara dos Deputados desde 2012, ano em que, conforme a justificativa do projeto, seriam atendidos apenas pouco mais de 20% dos que estão na fila de espera. O texto destaca ainda que quando um transplante é bem sucedido, uma vida é salva e com ela resgata-se também a saúde física e psicológica de toda a família envolvida com o paciente transplantado.

O projeto conta com apoio de entidades e pessoas envolvidas em campanhas de doação de órgãos. “Qualquer proposta que incentiva a doação de órgãos é válida”, afirma Luciana Sartori, do Grupo Mais Vida que realiza anualmente campanha de doação de medula óssea. “Há muitas pessoas nas filas à espera de um órgão e o aumento de doadores irá elevar o número de transplantes e salvar mais vidas”, acrescenta Luciana, ressaltando também a importância de ampliar a divulgação sobre o tema para conscientizar a população.

A prefeitura também informou a Santa Casa sobre o projeto, uma vez que a instituição é o hospital de referência do SUS no município e tem um setor de captação de órgãos.