Famílias escolhem moradias no Residencial Jasmim

As 112 famílias selecionadas o Residencial Jasmim, localizado na Vila Cristina, participaram de sorteio domingo, 18, para a escolha dos apartamentos que irão ocupar naquele empreendimento.

“A casa própria para a população de menor renda é nossa prioridade e razão dos nossos esforços para fazer da política habitacional no município um marco na história, beneficiando milhares de pessoas”, explicou o prefeito Du Altimari aos que participaram do sorteio realizado no Ginásio Municipal de Esportes Felipe Karan. “Isso nos deixa realizados, é um grande alívio verificar que estamos caminhando para zerar o déficit habitacional em Rio Claro para famílias de baixa renda que vão ficar livres do aluguel e terão nível de qualidade de vida muito superior”, acrescentou o prefeito.

Segundo a secretária municipal da Habitação, Maria José Pimentel Stivalli, até o momento a prefeitura já entregou 477 unidades habitacionais para famílias de baixa renda, das 1816 contratadas desde 2009. Nos próximos meses serão entregues as que ainda faltam, todas elas em fase adiantada de construção ou na etapa de acabamento. Até o final deste ano o município deve assinar contratos para a construção de mais de 2.100 unidades também para esta faixa de renda.

Distribuídos em torres de quatro pavimentos, os apartamentos do residencial Jasmim têm dois dormitórios e demais dependências e são direcionados às famílias rio-clarenses com renda de zero a R$ 1.600,00 com financiamento do programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal.

A entrega das chaves às famílias está marcada para o dia 8 de setembro, o que permite aos mutuários irem planejando a mudança para o novo lar. É o caso da paranaense Fátima Silva de Amaral, que reside em Rio Claro há mais de 30 anos e tem uma filha, Érica, de 18. “Somos apenas nós duas e não vemos a hora de entrar num apartamento que será nosso”, diz. Fátima paga R$ 250,00 de aluguel e a prestação da casa vai representar uma mínima parte deste valor. “Vai sobrar para outras coisas que hoje não podemos comprar”, conta Fátima, que trabalha há 15 anos como faxineira-diarista na casa de Alice, mãe de uma garota que ela ajudou a cuidar deste o berço e que também considera sua segunda filha. “Ela me ajudou muito, me incentivou, acreditou que seria possível e o resultado está aí”, revela Fátima em agradecimento à “patroa”, como ela se refere à amiga e empregadora.

O sorteio das casas também teve a presença da vice-prefeita Olga Salomão; do presidente da Câmara Agnelo da Silva Matos Neto; e dos vereadores Júlio Lopes, Raquel Picelli, João Zaine, Pereirinha, Maria do Carmo Guilherme e Professor Dalberto.