Palestras e oficinas abordam prevenção ao suicídio em Rio Claro

Um ciclo de palestras e oficinas está programado para este mês de setembro, em alusão ao “setembro amarelo”, mês em que são incentivadas em todo o País ações de prevenção ao suicídio. Em Rio Claro, as ações desse mês são fruto de parceria entre a Rede de Saúde Mental da Fundação Municipal de Saúde e a Unesp.

Todas as palestras serão no Anfiteatro II do Instituto de Biociências das Unesp, na Avenida 24 – A, 1515, no bairro Bela Vista, com entrada franca a todos os interessados.

Com o tema “Diálogo: Saúde Mental e Sociedade”, as palestras são abertas ao público, sempre às 16 horas.

Nessa terça-feira (11) o psicólogo Rafael Alves Galli, faz palestra com o tema “Essa coisa chamada suicídio”. No dia 20 de setembro a professora doutora Sandra Calais falará sobre “Estresse e depressão em universitários: Prevenção e Intervenção”. No dia 25 a psicóloga Elaine Lucas dos Santos fará a palestra com o tema “Uso de drogas e contexto universitário”.

Também durante o mês de setembro, a Rede Municipal de Saúde Mental da Fundação de Saúde realiza oficinas com alunos e servidores da Unesp. O tema desses encontros, que acontecem quinzenalmente, sempre as quartas-feiras, a partir dessa quarta (12) é “#Openvida. Dê uma oportunidade de olhar para si mesmo, para o outro e para o que está acontecendo ao seu redor”. O número de vagas para participar dessas oficinas é limitado a 30 para cada uma das três categorias (servidor de Unesp, alunos do IGCE e IB, alunos dos últimos anos e pós-graduandos do IB e IGCE).

O Setembro Amarelo é o mês dedicado à prevenção do suicídio. Trata-se de uma campanha, que teve início no Brasil em 2015, e que visa conscientizar as pessoas sobre o suicídio e evitá-lo. É nesse mês que no dia 10 se comemora o dia mundial de prevenção do suicídio.

O assunto é envolto em tabus, por isso, a organização da campanha acredita que falar sobre o mesmo é uma forma de entender quem passa por situações que levem a ideias suicidas, podendo ser ajudadas a partir do momento em que as mesmas são identificadas.

As situações que levam a esse fim podem surgir de quadros de depressão, bem como do consumo de drogas. É por isso que “Falar é a melhor solução” é o slogan da campanha, cujos envolvidos na sua organização acreditam que conscientizando as pessoas podem prevenir 9 em cada 10 situações de atos suicidas.