Paredão da 22-A começa a ser demolido; motoristas devem redobrar a atenção

A demolição de parte do antigo paredão da Fepasa, na Avenida 22-A com Rua 6-A, começa na semana que vem. A confirmação foi feita ao prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, pelo engenheiro da Companhia Paulista de Obras e Serviços (CPOS), Ricardo Ronquim, durante vistoria no imóvel na sexta-feira (18).  O paredão oferece risco de desmoronamento e vinha gerando preocupações em moradores e pessoas que passam frequentemente pelas imediações. Para resolver o problema a estrutura será parcialmente demolida, sendo reduzida nesse trecho até a altura do muro de fechamento do imóvel.

“É uma grande satisfação receber a notícia de que nosso pedido está sendo atendido e que, após muita luta, esse local deixará de oferecer perigo”, comenta o prefeito Juninho, lembrando que no final do ano passado Rio Claro fez gestões na CPOS para que o problema do paredão fosse resolvido. “Vamos mobilizar os setores de Defesa Civil e de Mobilidade Urbana para que deem todo o apoio necessário”, acrescenta, pedindo que pedestres e motoristas redobrem a atenção ao transitarem naquela região. A estimativa inicial da CPOS é de que o trabalho seja realizado em duas semanas. Os custos da obra são integralmente da Companhia Paulista de Obras e Serviços, que também fará a sinalização da obra.

“Além do rebaixamento do paredão, vamos fazer reparos em pontos da calçada e guias naquele trecho”, explica o engenheiro da CPOS. “Também faremos adequações em outra parte do muro que está com problemas”, acrescenta Ronquim, que acompanhou o prefeito na vistoria junto com o secretário municipal de Governo, Desenvolvimento Econômico e Planejamento, Francesco Rotolo, e com o vereador Geraldo Voluntário.

Também a partir de solicitações da prefeitura, outro antigo problema nas áreas da antiga ferrovia está sendo resolvido. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) providenciou grande ação de limpeza no imóvel, iniciativa que era esperada há décadas, principalmente por aqueles que moram naquela região.