Prefeitura estuda implantar Escola Maria Peregrina em Rio Claro

Escola adota a pedagogia por projetos, onde o aluno escolhe o que quer estudar.

A prefeitura de Rio Claro estuda a possibilidade de implantar a Escola Maria Peregrina no município, uma instituição de ensino particular sem vínculos com o poder público e que não cobra mensalidade dos alunos. A escola trabalha com pedagogia de projetos cujo tema de estudo é escolhido pelas crianças. A partir dele os tutores vão inserindo as disciplinas obrigatórias como matemática, ciências, história etc.

As crianças também recebem aulas sobre formação política e cidadã e vivenciam na prática a experiência. A escola é estruturada como uma cidade com prefeitura e câmara de vereadores, cargos ocupados pelos próprios alunos eleitos pela comunidade escolar. “O ensino com noções de política e cidadania promove conscientização social e prepara as crianças para a vida construindo uma nova sociedade”, destaca o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria.

A metodologia da Escola Maria Peregrina foi apresentada nesta terça-feira (26) por representantes da instituição ao prefeito Juninho da Padaria e secretários municipais em reunião no paço municipal. A reunião é um desdobramento da visita à sede da escola na cidade de São José do Rio Preto, feita pelo prefeito Juninho no último dia 20 a convite do vereador Thiago Yamamoto, que teve a iniciativa de implantar a escola em Rio Claro. Da visita a Rio Preto também participaram a secretária municipal da Cultura, Daniela Ferraz, e o vereador Geraldo Voluntário. “A filosofia da escola é mais povo, menos estado, e por acreditar nessa proposta estou encabeçando a vinda da escola para Rio Claro”, informa Yamamoto.

A visita dos representantes da escola a Rio Claro teve como objetivo apresentar a metodologia da escola e verificar a possibilidade de estabelecer parcerias com o poder público, iniciativa privada e terceiro setor para implantação da instituição no município. Durante a visita desta terça-feira (26) os representantes da escola visitaram algumas áreas sugeridas pelo município para instalação da unidade. “Nossa associação tem seis instituições e cada uma atua num ramo de negócio. Estamos preparados para atender as necessidades de Rio Claro sem onerar o município”, explica Max Lopes Wada, fundador da Escola Maria Peregrina. “Essas atividades têm como objetivo gerar renda e autonomia”, acrescenta Rogério Fischer Duque, presidente da escola.

A escola oferece ensino desde a educação infantil até o ensino médio. A metodologia de ensino inovadora é tema frequente de teses e dissertações e já recebeu vários prêmios importantes. Em 2016, por exemplo, foi reconhecida pelo Ministério da Educação como “Instituição de Referência para Inovação e Criatividade na Educação Básica do Brasil” e, em 2010, ficou entre as 17 melhores escolas particulares do Brasil.

Da reunião desta terça-feira (26) com o prefeito Juninho participaram os secretários Adriano Moreira (Educação), Érica Belomi (Desenvolvimento Social), Anderson Golucci (Habitação), Francesco Rotolo (Governo, Desenvolvimento Econômico e Planejamento), Daniela Ferraz (Cultura), Rodrigo Ragghiante (Negócios Jurídicos); os vereadores Thiago Yamamoto e Geraldo Voluntário; e membros da Escola Maria Peregrina.