Sábado tem vacinação contra a gripe em Rio Claro

Vacina poderá ser tomada nas unidades da Av. 29, Wenzel, Cervezão e Vila Cristina.

Para ampliar os índices de cobertura vacinal, o município de Rio Claro realiza no sábado (25) mais uma ação da campanha de vacinação contra a gripe. As quatro unidades básicas de saúde (UBS) vão abrir das 8 às 17 horas para atender as pessoas que pertencem aos grupos prioritários indicados para tomar a vacina: crianças de seis meses a cinco anos de idade, gestantes, puérperas, idosos, profissionais de saúde, professores, portadores de doenças crônicas, povos indígenas, pessoas privadas de liberdade, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estão sob medidas socioeducativas, policiais e bombeiros que estão na ativa.

No sábado, a vacina estará disponível nas unidades da Avenida 29, Wenzel, Cervezão e Vila Cristina. “Os postos vão funcionar no sábado somente para aplicar a vacina contra a gripe e não irão realizar outros serviços”, explica a secretária municipal de Saúde, Maria Clélia Bauer. “Esperamos que as pessoas indicadas para a vacina aproveitem mais essa oportunidade para se protegerem contra a doença”, acrescenta.

Há dez dias do encerramento da campanha de vacinação, prevista para o dia 31 de maio, Rio Claro ainda tem baixa procura pela vacina. O último boletim divulgado pela Vigilância Epidemiológica na sexta-feira (17) aponta cobertura vacinal de 46,57%. “Ao todo 28.318 pessoas foram vacinadas contra a gripe e a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde para o município é vacinar 42.113 pessoas”, informa Dinorá Silmara dos Santos, enfermeira responsável pela Vigilância Epidemiológica.

Os grupos com menor procura pela imunização são os de professores e de crianças até 5 anos, com 33,43% e 37,05% de cobertura vacinal, o que correspondem a 672 e 4.592 doses aplicadas, respectivamente. A maior cobertura vacinal é das puérperas, com a vacinação de 194 mulheres (64,67%), seguido de idosos com 14.277 (56,41%). Também foram vacinadas 866 gestantes (47,37%), 2.284 trabalhadores de saúde (38,44%), e 5.304 portadores de doenças crônicas (40,73%).