Rio Claro inicia compra de 10 mil testes rápidos para diagnóstico de coronavírus

Testes são destinados aos profissionais de saúde sintomáticos e pacientes graves.

A prefeitura de Rio Claro iniciou a compra de 10 mil testes rápidos para diagnóstico do novo coronavírus (Covid-19). O anúncio foi feito pelo prefeito João Teixeira Junior em entrevista coletiva na noite de quarta-feira (1º). O município está investindo cerca de R$ 1,3 milhão na compra dos kits com recursos próprios, a chamada receita de fonte 1. “Estamos priorizando a compra desses testes para agilizar o diagnóstico e ter uma resposta mais rápida dos casos suspeitos”, destaca o prefeito Juninho.

A prefeitura estima que os testes estarão disponíveis para uso em cerca de 20 dias, conforme prazo estabelecido pelo fornecedor. Os kits serão destinados aos profissionais de saúde com sintomas da Covid-19 e pacientes internados com quadro clínico grave. “Devemos garantir a segurança dos profissionais de saúde, que estão na linha de frente e são essenciais para o atendimento à população”, frisa Juninho.

Para o secretário municipal de Saúde, Maurício Monteiro, os kits vão auxiliar nas estratégias de contenção ao coronavírus. “Os testes serão uma ferramenta importante para acelerar e orientar os profissionais de saúde nos procedimentos de atendimento aos casos positivos de coronavírus e familiares dos pacientes”, explica Monteiro. “O objetivo é obter resultados mais rápidos para agilizar as medidas de contenção”, acrescenta.

A médica infectologista, Suzi Berbert de Souza, diretora municipal de Vigilância em Saúde, frisa que a colaboração da população é fundamental nesse momento para diminuir os riscos de contaminação e disseminação da doença. “O vírus está circulando e não vai deixar de circular e se a gente baixar a guarda o número de casos vai subir. Por isso pedimos que a população se mantenha firme nas medidas preventivas, mantendo o distanciamento ou isolamento social e lavando as mãos com frequência”, orienta Suzi.

Rio Claro tem 44 casos suspeitos de coronavírus, conforme último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde na noite de quarta-feira (1º).