Prefeitura prepara UPAs para atender pacientes com sintomas de coronavírus

Prédios e equipes foram preparados para atender pacientes durante a pandemia da Covid-19.

A prefeitura de Rio Claro concluiu a preparação das duas unidades de pronto atendimento (UPA) para atender pacientes com sintomas gripais, incluindo o novo coronavírus (Covid-19). Os prédios da UPA da 29 e da UPA do Cervezão receberam melhorias e foram adaptados para realizar esse tipo de atendimento. Reparos foram feitos e novos equipamentos instalados para otimizar a gestão de recursos e atender as necessidades dos pacientes e profissionais de saúde. “Essas ações complementam as medidas que já implementamos para preparar o município e, principalmente, as unidades e profissionais de saúde, para o trabalho contra a doença”, comenta o prefeito João Teixeira Junior.
A maioria dos serviços nas unidades foi feita pela equipe de manutenção da Secretaria Municipal de Saúde. A UPA do Cervezão ganhou pintura nova; aplicação de produto higienizador em paredes que tinham problemas com bolor; manutenção das linhas de oxigênio, ar comprimido e vácuo; o grupo motogerador da unidade foi revisado; foram feitos reparos na porta da sala de emergência e portões de acesso de viaturas; concluída a instalação dos aparelhos de ar-condicionado; troca de lâmpadas; mudança de layout de ambientes e mobiliário; fixação dos dispensadores de álcool em gel; entre outras melhorias.
As adaptações feitas na UPA da 29 incluem troca de divisórias, reparo e modernização de portão, instalação de nova porta na sala de emergência, troca de fechadura automática na porta de acesso aos consultórios, substituição de luminárias e lâmpadas, adequação da sala de eletrocardiograma e atualização de treinamento das equipes nos novos protocolos e procedimentos. Todo o trabalho foi feito com apoio de funcionários e gestores da unidade. “Trabalhamos intensamente para preparar as equipes e unidades para enfrentar essa pandemia, mas é importante que a população colabore fazendo higienização e isolamento social”, destaca o secretário municipal de Saúde, Maurício Monteiro.
Essas ações fazem do trabalho que vem sendo feito pela prefeitura de preparação da estrutura física da rede pública municipal de saúde para enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. O atendimento ambulatorial foi suspenso nas unidades de saúde (UBS e USF). “Nesse momento as unidades estão priorizando os atendimentos de quadros gripais”, informa o secretário Maurício Monteiro.


Porém, é necessário moderação na utilização desses serviços. Para evitar superlotação nas UPAs e aglomerações de pessoas, a recomendação é que os pacientes devem procurar as UPAs apenas em caso de febre alta e falta de ar. Quadros mais leves devem ser tratados em casa, a não ser que o paciente seja idoso ou tenha outras comorbidades. “Qualquer lugar com aglomeração de pessoas deve ser evitado e a UPA é um destes lugares”, observa a médica infectologista Suzi Berbert de Souza, diretora municipal de Vigilância em Saúde.
Em caso de dúvidas, as pessoas podem se informar sobre sintomas e transmissão de coronavírus no serviço de telemedicina criado pela prefeitura, o Tele Corona, que atende pelo número 2111-6999, de segunda a sexta-feira, das 8 às 14 horas. “Temos médicos e profissionais preparados para orientar os pacientes e indicar se ele deve ou não procurar atendimento médico com base nas informações fornecidas por telefone”, informa Monteiro. O Tele Corona funciona em parceria com o Centro Universitário Claretiano.
Além dessas ações, a prefeitura também adotou outras medidas de combate e enfrentamento ao novo coronavírus como a suspensão das aulas na rede municipal pública de ensino, a prorrogação por 30 dias dos cortes de água, afastamento dos servidores com mais de 60 anos, suspensão do atendimento presencial na repartições públicas municipais, fechamento dos estabelecimentos comerciais não essenciais, entre outras iniciativas. Vale lembrar que até o momento Rio Claro tem um caso confirmado de Covid-19 e 47 suspeitos conforme boletim divulgado na manhã deste sábado (4) pela Vigilância Epidemiológica.