Adesão de RC a consórcio de saúde é tema de reunião com vereadores

Proposta foi apresentada aos parlamentares pelo prefeito Juninho.

A adesão do município de Rio Claro ao Consórcio Intermunicipal de Saúde na Região Metropolitana de Campinas – Norte (Cismetro) foi tema de reunião com vereadores realizada na quinta-feira (16) no paço municipal. O município de Rio Claro foi aprovado pelo consórcio para ingressar no grupo formado por 14 cidades e, para oficializar o ingresso, precisa da aprovação da Câmara Municipal e do Conselho Municipal de Saúde. Em breve, projeto de lei será encaminhado pelo Executivo ao Legislativo para apreciação dos vereadores.

“Espero que os vereadores analisem carinhosamente a proposta e nos ajudem a dar mais esse passo importante para melhorar ainda mais a saúde no município que teve grandes avanços nos últimos três anos”, comenta o prefeito João Teixeira Junior. “Acredito que o consórcio trará um grande ganho para a saúde de Rio Claro, principalmente no atendimento às pessoas que mais precisam”, avalia Juninho que apresentou a ideia ao presidente da Câmara Municipal, André Godoy, e aos vereadores Hernani Leonhardt, Ruggero Seron, Irander Augusto, José Pereira, Yves Carbinatti, Maria do Carmo Guilherme, Thiago Yamamoto e Julinho Lopes. Também participaram da reunião o secretário municipal de Saúde, Maurício Monteiro, e a chefe de gabinete da Fundação Municipal de Saúde, Eleny Freitas de Almeida.

O Cismetro cria uma rede integrada de saúde entre os municípios participantes com o objetivo de otimizar recursos e agilizar serviços oferecidos à população como exames, consultas e outros procedimentos. O município aporta recursos no consórcio e tem autonomia para decidir onde o dinheiro será utilizando, podendo destiná-lo às suas áreas de maior necessidade e demanda, inclusive na contratação de mão de obra.

“O município contrata os serviços e os valores vão sendo abatidos do montante depositado”, explicado Monteiro, frisando que os serviços e procedimentos são cobrados pela tabela do Sistema Único de Saúde (SUS). “Os preços são bem mais em conta que os de mercado e o município poderá ampliar o atendimento à população gastando menos recursos”, observa.

Um exame de ultrassom, por exemplo, que hoje custa R$ 87,47 ao município, pelo Cismetro sai por R$ 37,00. Da mesma forma uma consulta com preço atual de R$ 63,41 custa R$ 34,00 pelo consórcio. Além da economia de recursos, outra vantagem é que os profissionais contratados pelo consórcio ganham por produtividade e, no caso dos médicos, com limite de quatro consultas por hora. “Não vejo outra solução tão promissora, duradoura e com tal potencial para qualificar a saúde do município”, destaca Monteiro.

Fundado em 2014, o Cismetro está entre os dez consórcios mais consolidados do país e tem índice de satisfação superior a 70% nas cidades que aderiram ao consórcio: Holambra, Artur Nogueira, Cosmópolis, Paulínia, Santo Antônio de Posse, Morungaba, Cordeirópolis, Santa Gertrudes, Amparo, Iracemápolis, Monte Mor, Jaguariúna, Limeira e Ipeúna. Rio Claro poderá ser a 15ª cidade a ingressar nesse grupo.