RC recebe R$ 2,5 milhões do governo federal para atender pacientes com coronavírus

Recursos são fundamentais para manter a capacidade de atendimento dos demais pacientes da rede municipal de saúde.

O setor de saúde de Rio Claro está recebendo quase R$ 2,5 milhões para investir no atendimento de pacientes com quadros de doenças respiratórias, com foco nas infecções pelo novo coronavírus (Covid-19). Liberados pelo governo federal, os recursos estão sendo disponibilizados em caráter extraordinário como auxílio ao município devido à pandemia que vem se alastrando pelo mundo. “É um reforço inestimável para nossas ações de enfrentamento da crise e nossos esforços pela saúde da população rio-clarense neste momento difícil”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, ressaltando que o trabalho articulado da União, estado e municípios é vital para que se supere a pandemia. “Precisamos da colaboração de todos, inclusive da população que deve fazer a sua parte no combate à doença”, acrescenta Juninho informando que a prefeitura vai encaminhar projeto de lei à Câmara Municipal solicitando autorização dos vereadores para que Rio Claro possa utilizar esses recursos.

O secretário municipal de Saúde, Maurício Monteiro, explica que esses recursos extras liberados pelo Ministério da Saúde são importantes principalmente porque ajudam a garantir que os investimentos no atendimento de pacientes com coronavírus não sejam feitos em detrimento da atenção aos outros pacientes. “O governo federal destina aos municípios no início de cada ano verba para atendimentos de alta e média complexidades. Devido ao coronavírus estamos recebendo neste mês novamente o mesmo valor de R$ 2.485.000,00, o que nos dá um fôlego a mais uma vez que a pandemia é uma situação extraordinária que implica em gastos com o setor de saúde além do previsto”, esclarece Monteiro.

O secretário de Saúde destaca que o recurso extraordinário tem destinação restrita ao atendimento de pacientes e não é destinado à aquisição de insumos e equipamentos. “Há outras verbas que estamos recebendo, também relacionadas à crise do coronavírus, que podem ser investidas em custeios operacionais”, esclarece. Uma delas, de R$ 420 mil, foi destinada pelo governo estadual e outra, de R$ 1.600.000,00, foi destinada também pelo Ministério da Saúde.