Agentes de combate à dengue também passam por testes rápidos para Covid-19

Cerca de 60 profissionais foram submetidos ao teste na segunda-feira (1º).

Mais de 1.200 testes rápidos foram realizados em Rio Claro para identificar possíveis casos de Covid-19 em servidores da Saúde e Segurança. Na segunda-feira (1º) funcionários do Centro de Controle de Zoonoses foram submetidos ao exame.

“Além de ser um cuidado com o profissional de saúde, a realização do exame dá mais segurança para a população, já que muitos destes servidores realizam seu trabalho nas casas das pessoas, vistoriando imóveis em trabalho preventivo à dengue e outras doenças”, observa Maurício Monteiro, secretário de Saúde.

Equipe do laboratório municipal esteve na sede do CCZ para fazer a coleta de sangue dos servidores. Os exames também estão sendo feitos em profissionais que atuam nas unidades de saúde do município.

“Por conta da pandemia, os agentes vêm tomando uma série de cuidados para evitar contágio e transmissão do novo coronavírus, e o teste rápido vem somar a estes esforços”, observa Diego Reis, responsável pelo CCZ.  Durante os trabalhos preventivos realizados nos bairros os agentes usam máscaras e não vistoriam imóveis onde residam pessoas idosas ou com sintomas da Covid-19, por exemplo. Nestes casos as orientações são transmitidas do portão para que o trabalho preventivo à dengue seja feito sem que haja maior exposição a riscos.

Na semana passada os testes foram feitos em profissionais das forças de segurança e na sexta-feira (29) a prefeitura divulgou que também irá realizar testes rápidos para Covid-19 em moradores de rua. “Ao todo o município está realizando 14 mil testes rápidos”, afirma o prefeito João Teixeira Junior, que desde o início da pandemia tem acompanhado de perto as ações de combate ao coronavírus. Dez mil testes foram comprados pela prefeitura e o restante repassado ao município pelo governo federal. “O Poder Público tem que estar atento, mas a colaboração da comunidade é fundamental para o sucesso das medidas preventivas”, ressalta Juninho.