Rio Claro tem representante no Conselho Nacional de Arquivos

A partir de escolha técnica, Monica Frandi Ferreira conquistou suplência na entidade.

Monica Frandi Ferreira (primeira à esquerda) durante trabalho de recuperação de item do Arquivo de Rio Claro

Rio Claro conquistou representação no Conselho Nacional de Arquivos (Conarq). A superintendente do Arquivo Público Municipal de Rio Claro “Osca de Arruda Penteado”, Monica Frandi Ferreira, foi escolhida em seleção pública para ocupar a suplência do segmento “arquivos públicos municipais” do Conarq. Apenas dois representantes de arquivos municipais de todo o Brasil fazem parte do conselho nacional, sendo que a escolhida para a cadeira titular no segmento foi Nadia Csoknyai Del Monte Kojio, do arquivo municipal de São José dos Campos.

“Mais uma vez Rio Claro tem destaque positivo no país e essa conquista é fruto do trabalho sério desenvolvido em nosso arquivo público para registrar e divulgar a história de nosso município”, comenta o prefeito João Teixeira Junior. “Sem dúvida, trata-se de uma excelente notícia que nos deixa muito orgulhosos”, acrescenta Juninho.

A escolha dos integrantes da Conarq foi técnica e teve como critérios a análise do currículo dos candidatos e as ações da gestão nos respectivos arquivos públicos. De acordo com o Arquivo Nacional, 26 candidaturas foram homologadas. “O trabalho que desenvolveremos no Conarq será técnico, assim como é a gestão que desenvolvemos aqui no Arquivo Público de Rio Claro”, reforça Monica Frandi Ferreira. “Essa conquista coroa os esforços que dedicamos a esse trabalho tão importante que é zelar pela memória de nossa cidade e nossa gente”, acrescenta a superintendente do arquivo “Oscar de Arruda Penteado”.

Segundo Mônica Frandi Ferreira, os escolhidos para integrar o Conarq serão empossados em cerimônia virtual a ser conduzida pelo Ministério de Estado da Justiça e Segurança Pública, ao qual o Arquivo Nacional é vinculado.

O processo de seleção pública para compor o conselho nacional incluiu segmentos de arquivos municipais, estaduais e distrito federal, associações de arquivistas, instituições de ensino e pesquisa, organizações ou instituições com atuação na área de tecnologia da informação e comunicação, arquivologia, história, ciências sociais ou ciência da informação.