Vacina contra a gripe é aplicada nas unidades de saúde dos bairros

Devem se vacinar profissionais de saúde, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes e puérperas.

A campanha de vacinação contra a gripe continua sendo realizada em Rio Claro nas unidades básicas de saúde e unidades de saúde da família. Quem pertence aos grupos prioritários e ainda não recebeu a vacina deve procurar uma das unidades. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira a partir das 8 horas.

Nesta primeira fase da campanha estão sendo vacinados profissionais de saúde, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes e puérperas. Até o momento, o município vacinou 2.772 pessoas.

A vacina da influenza é uma das medidas de prevenção mais importantes para proteger contra a doença e suas complicações e óbitos. A lista com os endereços das unidades básicas de saúde e unidades de saúde da família pode ser acessada no site saude-rioclaro.org.br.

Pessoas pertencentes aos grupos prioritários também para a vacinação contra a Covid devem respeitar intervalo de, no mínimo 14 dias, entre a vacina da gripe e a da covid. O recomendado é que seja priorizada a vacinação contra a Covid e, após 14 dias, a pessoa deve ser vacinada também contra a influenza.

Para ser vacinada a pessoa deve apresentar documento de identidade e comprovação de que pertence ao grupo prioritário. E, também no momento da vacinação, é indispensável utilizar máscara, higienizar as mãos e manter distanciamento social.

O cronograma estadual da vacinação contra a gripe prevê entre 11 de maio e 8 de junho a vacinação de idosos com 60 anos ou mais e de professores. De 9 de junho a 9 de julho, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, pessoas portadoras de deficiência permanente, forças de segurança e salvamento, forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbanos e de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.