Museu é tido como essencial para preservar a memória ferroviária

     A criação de um museu ferroviário em Rio Claro é considerada ação central na mobilização do município pela memória da estrada de ferro. A posição foi apoiada pela vice-prefeita a secretária de Governo, Olga Salomão, durante reunião de trabalho realizada na noite de quinta-feira, 6, no salão nobre da Câmara Municipal.

    Para um público que incluiu entidades e profissionais ligados ao setor, Olga salientou a importância desse segmento encabeçar junto com a prefeitura o movimento pela implantação do museu e pelo desenvolvimento de outras ações que ajudem a preservar e valorizar a história e cultura ferroviária do município.

    “São pessoas muito qualificadas, que têm muito a enriquecer essa iniciativa de recuperar uma parte essencial da história de Rio Claro”, disse. A vice-prefeita também destacou o trabalho feito pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), que há 33 anos realiza ações de preservação da ferrovia em todo o Brasil.

     O assessor de relações públicas da ABPF foi um dos presentes ao encontro. Geraldo Godoy mostrou um pouco do trabalho realizado pela entidade e se colocou à disposição do município para auxiliar o projeto de implantação do museu ferroviário. Palestrante da noite, Godoy também citou algumas outras possibilidades que serão estudadas pelo grupo de trabalho que discute a memória ferroviária em Rio Claro.

    

Museu é tido como essencial para preservar a memória ferroviária
Museu é tido como essencial para preservar a memória ferroviária
A criação de um museu ferroviário em Rio Claro é considerada ação central na mobilização do município pela memória da estrada de ferro
A criação de um museu ferroviário em Rio Claro é considerada ação central na mobilização do município pela memória da estrada de ferro

O secretário municipal de Turismo, Renê Neubauer, destacou a necessidade de toda a comunidade rio-clarense se engajar no Movimento Pró Museu Ferroviário. “É uma ação pela cultura, pelo turismo e pela história de Rio Claro”, argumenta.